“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

28 de fev de 2016

MIGUEL ANGEL ASTURIAS - Arte Tumular - 1097 - Cimetière du Père Lachaise Paris City of Paris Île-de-France, France

bandeira-guatemala-imagem-animada-0005








Monumento Maia

Base tumular

Placa de bronze


ARTE TUMULAR
Base tumular quadrada em granito, apresentando como lápide uma placa de bronze. Na cabeceira tumular destaca-se  um  monumento em granito, inspirada na cultura maia

Local: Cimetière du Père Lachaise Paris City of Paris Île-de-France, France
Plot: Division 10, #4
Fotos: meijsen.net/graveyart; Hugo_photo(picasaweb.gogle.com/hugo
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
Miguel Ángel Asturias Rosales (Cidade da Guatemala, 19 de Outubro de 1899 — Madrid, 9 de Junho de 1974) foi um escritor e diplomata guatemalteco.

Em 1965 foi-lhe atribuído o Prêmio Lenin da Paz e em 1967 o Nobel de Literatura.
Morreu aos 74 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Para o compositor José Castañeda escreve dois libretos das óperas: Emulo Lipolidón e Imágenes de Nacimiento. Hombres de maíz (Homens de Milho - 1949) é reconhecida por muitos como sua obra-prima. Novela típica do realismo mágico, nela o autor mistura a linguagem e ritmo de sua prosa aos do povo que retrata, suas crenças fantásticas, suas antigas maneiras e costumes. Permaneceu em temas semelhantes nas suas obras seguintes, como nas polêmicas novelas chamadas "A Trilogia da República da Banana" ("La trilogía de la república de la banana"), composta por: Viento fuerte (1950), El Papa verde (1954) e Los ojos de los enterrados (1960).

Seu teatro é menos conhecido, mas vem repleto de inconformismo e crítica social, como em Chantaje e Dique seco, ambas de 1964.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: