“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

4 de fev de 2016

KALPANA CHAWLA - Arte Tumular - 1061 - Cremada








MEMORIAL



CREMADO
Seu corpo foi cremado e as cinzas entregues para os familiares




PERSONAGEM
Kalpana Chawla (1 de julho de 1961, Karnal, Punjabe — Espaço Aéreo dos EUA, 1 de fevereiro de 2003) foi uma astronauta norte-americana nascida na Índia, integrante da tripulação da nave Columbia que se desintegrou na reentrada na atmosfera ao fim da missão STS-107, em fevereiro de 2003, matando todos os tripulantes.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Kalpana teve em criança seu interesse despertado pela aviação na Índia natal, pelas façanhas de JRD Tata, um pioneiro piloto indiano. Estudou engenharia aeronáutica e formou-se como bacharel em ciências no Colégio de Engenharia do Punjab, em 1982. Mudou-se então para os Estados Unidos, onde aprimorou seus estudos e conseguiu doutorados em ciências nas Universidades do Texas e do Colorado, quando começou a trabalhar com a NASA, naturalizando-se norte-americana em 1990.

Kalpana entrou para o grupo de astronautas da NASA em 1995 e dois anos depois fez seu primeiro vôo espacial a bordo da nave Columbia, tornando-se a primeira mulher nascida na Índia e a segunda pessoa de origem indiana no espaço, após o voo do cosmonauta Rakesh Sharma treze anos antes, na missão russa Soyuz T-11. A diferença era que Sharma era indiano e Kalpana Chawla fez seu vôo como cidadã norte-americana e apesar de seus interesses em comum, os dois nunca se encontraram pessoalmente.

Após seu voo inaugural ela participou de atividades técnicas na NASA ligadas ao estudo da microgravidade até ser escalada para a tripulação da fatídica missão STS-107 do ônibus espacial Columbia em janeiro de 2003.

Apesar de naturalizada norte-americana nunca deixou de lado suas raízes indianas e sempre foi considerada pelo povo do país como um dos seus. Morreu como heroína e modelo de milhares de adolescentes indianas, especialmente em sua cidade natal de Karpal, onde sua vida inspirou as jovens a seguirem seus passos.

Seu irmão, Sanjay Chawla, fez a seguinte declaração: "Para mim, minha irmã não morreu. Ela é imortal. Não são imortais as estrelas? Ela é uma estrela permanente no céu, o lugar a que ela pertence".

HOMENAGENS PÓSTUMAS
 Algumas homenagens póstumas a Kalpana

-Quatro dias após a tragédia da Columbia, o primeiro-ministro da Índia anunciou que a primeira série de satélites meteorológicos lançados ao espaço pelo país passariam a se chamar Kalpana.

-O asteróide 51826 foi batizado com seu nome.

-A Rua 74 no Queens, Nova York, na região conhecida como "Little India", foi rebatizada com seu nome.

-A banda de rock Deep Purple fez a música Contact Lost em homenagem à tripulação da Columbia, principalmente pelo fato de Kalpana ter se declarado grande fã do som da banda.

-A Universidade do Texas, onde Chawla fez um de seu doutorados em ciência de engenharia aeroespacial em 1984 , batizou uma de suas alas como Kalpana Chawla Hall.

-O novo supercomputador da NASA chama-se Kalpana.

-Editoras indianas lançaram no país revistas em quadrinhos com a história da vida dela.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales



Nenhum comentário: