“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

23 de jan de 2016

ETTORE SCOLA - Arte Tumular - 1044 - (Indeterminado)







PERSONAGEM
Ettore Scola (Trevico, 10 de maio de 1931 - Roma, 19 de janeiro de 2016) foi um dos mais importantes diretores italianos de cinema.
Morreu aos 84 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Estudou Direito em Roma, passando depois ao jornalismo e ao rádio. Ali travou conhecimento com gente do cinema para os quais começou a trabalhar como argumentista, o que fez entre 1954 a 1963. Neste período, em parceria com Ruggero Maccari, escreveu argumentos para Antonio Pietrangeli e Dino Risi.

Sua estreia como realizador deu-se em 1964, com a comédia Fala-se de mulheres. Seguiram-se outros filmes, como Nós que nos amávamos tanto, de 1974, que ganhou o Prêmio César de melhor filme estrangeiro.

Nos últimos anos de vida deixou de fazer filmes de ficção, tendo passado a colaborar em documentários coletivos com evidente posicionamento político, como "Um outro mundo é possível", sobre o G8 em Génova, e "Cartas da Palestina", sobre o conflito nos territórios ocupados.

MORTE
Morreu em Roma em 19 de janeiro de 2016, após alguns dias em coma, no Hospital Policlínico.

Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: