“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

29 de out de 2013

WILLIE McCOLL - Arte Tumular - 921 - North Prairie Cemetery * Washington County Illinois, USA





ARTE TUMULAR
Lápide em mármore branco com o seu nome e datas gravados e dados sobre a sua missão na Columbia.
O túmulo tratas-e de um cenotáfio, isto é, monumento erigido à memoria do morto, mas que não lhe encerra o corpo.

Local: North Prairie Cemetery * Washington County Illinois, USA *
Cenotaph [?]
Descrição tumular: Helio Rubiales

PERSONAGEM
 William Cameron "Willie" McCool (San Diego , 23 de setembro de 1961 - Espaço aéreo dos EUA, 1 de fevereiro de 2003) foi um astronauta e comandante da marinha norte-americana, que morreu como piloto da nave Columbia quando ela se desintegrou no retorno à Terra da missão STS-107.
SINOPSE
 Formado em ciência de computadores, engenharia aeronáutica e ciência aplicada, McCool completou o treinamento de piloto e serviu no porta-aviões USS Coral Sea no Mar Mediterrâneo no fim dos anos 80 e no USS Enterprise nos anos 90. Selecionado para a NASA em1996 , após dois anos de treinamento foi qualificado como piloto de espaçonave. Em 16 de janeiro de 2003 foi ao espaço como piloto da nave Columbia numa missão de pesquisas científicas durante quinze dias em órbita.


MORTE
 Ao fim da missão, no retorno à Terra, em 1 de fevereiro, devido a um rombo em uma das asas da nave, provocado por uma peça que se desprendera e a atingira durante o lançamento, a Columbia foi destruída. A causa da destruição foi a entrada de gases incandescentes pelo rombo, durante a manobra de reentrada da nave. Quando a nave explodiu, 61 quilômetros acima do sul dos Estados Unidos, matando os sete astronautas, faltavam apenas dezesseis minutos para sua aterrissagem. Anderson morreu juntamente como seus seis colegas de voo,
 O asteróide 51829 Williammccool e a Colina McCool, nas Colinas Columbia, em Marte, foram assim batizados postumamente em sua homenagem
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales
.

Nenhum comentário: