“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

2 de fev de 2012

ALFREDO STROESSNER - Arte Tumular - 687 - Cemitério de Brasilia, Brasilia, DF, Brasil

   



ARTE TUMULAR 
Base tumular em mármore no gramado do cemitério, com uma placa de bronze com o seu nome e datas

Local: Cemitério de Brasilia, Brasilia, DF,  Brasil
Descrição tumular: Helio Rubiales

PERSONAGEM
Alfredo Stroessner Matiauda (Encarnación, 3 de novembro de 1912 — Brasília, 16 de agosto de 2006) foi um político, general de exército e presidente do Paraguai entre 1954 e 1989.
Morreu aos 93 anos de idade.
BIOGRAFIA
Stroessner nasceu em Encarnación, cidade à beira do Rio Paraná, na fronteira com a Argentina. Seu pai, Hugo, trabalhava em uma cervejaria e era imigrante alemão, natural de Hof an der Saale, Baviera; sua mãe, Heriberta Matiauda, era paraguaia. Seu sobrenome pode ser escrito Stroessner, Strössner ou Strößner. Com dezessete anos, Stroessner entrou no exército e se tornou tenente dois anos depois. Lutou na Guerra do Chaco contra a Bolívia em 1932 e nos anos subseqüentes subiu rapidamente nas patentes. Em 1948 ele atingiu a patente de general-de-brigada e se tornou o general mais jovem na América do Sul.
Stroessner tornou-se comandante do exército paraguaio e em 1954 alcançou o posto de general-de-divisão, tirando Federico Chávez da presidência com um golpe de estado militar. Stroessner tornou-se presidente e foi reeleito, em pleitos marcados pela fraude, por 7 mandatos consecutivos (em 1958, 1963, 1968, 1973, 1978, 1983 e 1988), desfrutando por 35 anos do mais longo governo na América Latina, no século XX, depois de Fidel Castro.
Como presidente, Stroessner foi um líder que trabalhava até à madrugada e se diz que nunca tirou férias em seu governo, assim como que teria defendido tenazmente os interesses norte-americanos, até o momento em que começou o boicote de Ronald Reagan a seu regime. Foi muito respeitado por sua política de pagamento da dívida externa. Também demonstrou muita simpatia pelos ex-nazistas, tendo dado a vários deles asilo no país, inclusive ao dr. Josef Mengele, o que rendeu a Stroessner muitas críticas.
A cidade de Porto Flor de Lis foi renomeada Porto Stroessner em sua honra mas, em 1989, foi renomeada Cidade do Leste.
Em 1989, após 35 anos de governo, Stroessner foi derrubado por um golpe de Estado, liderado pelo general Andrés Rodríguez, seu co-sogro, sendo expulso para o Brasil, onde viveu exilado até sua morte.
MORTE
Stroessner morreu em 16 de agosto de 2006, em Brasília , em 93 anos de idade. A causa imediata da morte foi um acidente vascular cerebral . Ele vinha sofrendo de pneumonia depois de passar por uma operação de hérnia. O governo do Paraguai rejeitou antecipadamente qualquer sugestão para honrar o falecido presidente no Paraguai
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: