“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

2 de fev de 2012

TIBÉRIO CLÁUDIO NERO - Arte Tumular - 703 - Mausoleum of Augustus, Rome, Lazio Region, Italy




Reconstrução gráfica
ARTE TUMULAR
MAUSOLÉU DE AUGUSTUS
O Mausoléu de Augustus foi um grande túmulo construído pelo imperador romano Augusto em 28 aC, no Campus Martius em Roma. O mausoléu ainda está aberto aos turistas, localizado na Piazza Augusto Imperatore, embora os estragos do tempo e descuido viraram ruínas.
O mausoléu foi um dos primeiros projetos iniciado por Augusto na cidade de Roma após a vitória de Augusto na batalha de Actium em 31 aC. O mausoléu era de formato circular sobre um plano, consistindo de vários anéis concêntricos de terra e tijolo, plantados com ciprestes e tampado por um telhado cónico e uma estátua de Augusto. Obeliscos de granito rosa ladeavam a entrada arqueada do mausoléu. A construção media 90 metros de diâmetro por 42 metros de altura.
Local: Mausoleum of Augustus, Rome, Lazio Region, Italy
GPS (lat/lon): 41.90611, 12.47639
Foto: dead-trek.com
Descrição tumular: Helio Rubiales

PERSONAGEM
Tibério Cláudio Nero, em latim Tiberius Claudius Nero (c. 85 a.C. — 33 a.C.), foi pai do imperador Tibério  e do general Druso. O nome do seu pai ou do seu sogro era Druso.
Foi questor de Júlio César durante a guerra alexandrina e comandou a frota; sua participação foi importante para a vitória. Como recompensa foi nomeado pontífice no lugar de Públio Cepião e encarregado de conduzir colônias na Gália, dentre as quais Narbo e Arelate.
Não obstante, após o assassinato de César, em 44 a.C., enquanto os demais queriam uma anistia por medo da violência da turba, ele sugeriu que seus assassinos fossem elogiados como tiranicidas no Senado.
No ano seguinte desposou Lívia, de quem teve um filho homônimo, o futuro imperador.
Tornou-se pretor, e, quando surgiu uma dipusta entre os triúnviros ao final do seu período, ele reteve o posto, e se juntou a Lúcio Antônio, irmão de Marco Antônio e cônsul, na Perúsia. Mesmo depois que todos outros haviam capitulado, ele manteve sua aliança, e foi para Praeneste, Nápoles e, finalmente, para a Sicília. Irritado porque não conseguiu uma audiência com Sexto Pompeu, ele foi para a Acaia e se juntou a Marco Antônio.
Pelo tratado de Miseno em 39 a.C., foi anistiado, sendo permitido que retornasse a Roma, com a condição de que cedesse sua esposa Lívia Drusilla, grávida do segundo filho, ao triúnviro vitorioso Otaviano, futuro imperador Augusto. Ele morreu pouco depois, deixando dois filhos, Tibério Nero e Druso Nero
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: