“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

12 de ago de 2011

GILLES VILLENEUVE - Arte Tumular - 534 - Cimetiere de Berthierville ,Berthierville, Quebec, Canada.






  
ARTE TUMULAR
Lápide em granito com o nome da família em destaque.
Embora o seu corpo tenha sido cremado, as suas cinzas foram depositadas no túmulo
junto com o seu pai
Local: Cimetiere de Berthierville ,Berthierville, Quebec, Canada.
Fotos: Paul D
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Joseph Gilles Henri Villeneuve, mais conhecido como Gilles Villeneuve , (Berthierville, 18 de janeiro de 1950 — Leuven, 9 de maio de 1982) é considerado um dos melhores pilotos de toda a história da Fórmula 1, apesar de ter obtido apenas seis vitórias em 67 corridas disputadas na sua passagem pela categoria, entre 1977 e 1982.
Morreu aos 31 anos de idade
BIOGRAFIA
Villeneuve nasceu em Quebec. Era filho de um afinador de pianos e estreou no automobilismo em 1975, após uma breve e vitoriosa carreira como piloto de snowmobile em campeonatos de seu país. Foi campeão canadense e norte-americano de Fórmula Atlantic, em 1976, e repetiu o título canadense em 1977. Neste ano, em uma corrida no circuito de Trois Riviere que contou com a presença de pilotos da Fórmula 1, derrotou e impressionou positivamente o então campeão mundial James Hunt, o que lhe rendeu um convite para disputar o Grande Prêmio da Inglaterra, em Silverstone, com um terceiro carro da equipe McLaren.
Nesta prova, com um velho McLaren M-23 — mesmo modelo com que Emerson Fittipaldi vencera o campeonato de 1974 —, Gilles largou da nona posição, entre os pilotos oficiais da equipe, Hunt e Jochen Mass, porém problemas mecânicos o atrasaram e o canadense terminou a corrida na décima-primeira posição. A McLaren não convidou mais Gilles para as provas seguintes, mas a sua já crescente reputação e seu estilo arrojado lhe renderam um convite para ser piloto da equipe Ferrari, ainda em 1977, para ser companheiro do argentino Carlos Reutemann. Gilles é muito lembrado pelo seu lendário duelo contra o piloto francês René Arnoux (Renault) no grande prêmio da França de 1979. O arrojo de ambos os pilotos nesse confronto foi tão grande que René e Gilles chegaram a ficar lado a lado em uma mesma curva a mais de 150 Km/h, Após sucessivas ultrapassagens de ambos os pilotos, Gilles Villeneuve venceria o confronto e receberia a bandeirada em segundo, seguido do próprio Arnoux em terceiro. Após a corrida o francês diria uma frase marcante: "Ele me venceu, mas isso não me preocupa, pois sei que fui vencido pelo melhor piloto do mundo"
MORTE
No Grande Prêmio da Bélgica, (ainda no autódromo de Zolder), a rivalidade trouxe uma fatalidade. Na disputa para superar o melhor tempo feito por Pironi no treino de classificação, Villeneuve estava em sua última volta rápida quando encontrou, em uma curva de alta velocidade, o March do alemão Jochen Mass retornando para os boxes em velocidade menor. Um erro de cálculo fez com que as rodas dos carros se tocassem e a Ferrari foi lançada ao ar, seguindo-se uma seqüência de capotagens que partiu o cockpit ao meio e arremessou o corpo de Villeneuve para o alto, na direção esquerda, só parando no lado extremo da pista, ao chocar-se violentamente contra o alambrado de proteção. O piloto já não estava respirando quando a equipe de socorro chegou ao local, mas só foi oficialmente declarado morto mais tarde, em um hospital local.
Apesar de a tragédia no automobilismo não ser algo tão inesperado na época — ainda menos diante do estilo de pilotagem característico de Villeneuve —, o acidente causou, entre os pilotos e principalmente junto ao público, uma comoção que só foi igualada doze anos depois, com a morte de Ayrton Senna. Mesmo aqueles que tiveram as mais árduas disputas com o canadense na pista, como o francês René Arnoux, admiravam seu caráter simpático e amigável e sua lealdade como competidor, mesmo com tanto arrojo.
Gilles Villeneuve deixou um casal de filhos, entre eles Jacques Villeneuve, que foi campeão da temporada de 1997. O irmão de Gilles, também chamado Jacques Villeneuve, obteve moderado sucesso nas categorias de acesso por onde Gilles passou e chegou a disputar duas corridas de Fórmula 1 e campeonatos de Fórmula Indy na década de 1980, porém ele não teve muito êxito
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: