“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

12 de ago de 2011

SIDNEY SHELDON - Arte Tumular - 535 - Westwood Memorial Park ,Los Angeles,Los Angeles County,California, USA




ARTE TUMULAR
Placa de bronze com o seu nome e datas do nascimento e morte, marcando o nicho onde as suas cinzas foram depositadas.

Local: Westwood Memorial Park ,Los Angeles,Los Angeles County,California, USA
Plot: Sanctuary of Tenderness, back wall, center.
Fotos: Deborah Panno e Edward Fenucci
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Sidney Sheldon (Chicago, 11 de fevereiro de 1917 — Rancho Mirage, 30 de janeiro de 2007) foi um escritor e roteirista norte-americano.
Morreu aos 89 anos de idade.
SINOPSE
Durante sua vida, Sheldon publicou dezoito romances; todos alcançaram a lista de mais vendidos do jornal The New York Times. Eles totalizaram mais de 300 milhões de cópias vendidas, com traduções para 51 idiomas, distribuídos em cerca de 180 países; por esse fato, ele é considerado "o escritor mais traduzido do mundo" pelo Guinness. O escritor também é creditado por 250 roteiros televisivos, seis peças para a Broadway e 25 filmes.
BIOGRAFIA
Sheldon nasceu Sidney Schechtel em Chicago, Illinois, filho de Ascher "Otto" Schechtel e Natalie Marcus, descendentes de judeus alemães e russos, respectivamente. Tinha um irmão mais novo, chamado Richard. Ele fez sua primeira venda aos 10 anos, participando de um concurso realizado por uma revista infantil chamada Wee wisdom, pelo valor de US$5. Depois de se graduar na East High School de Denver, ele frequentou a Universidade Northwestern, mas não a concluiu.
Durante a Grande Depressão, trabalhou em diversos empregos para ajudar no sustento da família, como vendedor de sapatos, locutor de rádio e entregador em uma drogaria. Depois de ter vendido uma canção que havia composto para um líder de banda local, ele mudou-se para Nova York, onde tentou firmar-se como compositor. Quando surgiu uma oportunidade - um popular compositor da época se interessou por suas músicas e ofereceu-se para se reunir com ele no dia seguinte - Sheldon desistiu e voltou para Chicago, onde sua família ainda morava.
Sheldon foi casado por três vezes. Seu primeiro casamento, com Jane Kaufman, ocorreu em 1945 e os dois se separaram dois anos depois. Ele conheceu sua segunda esposa, Jorja Curtright, uma atriz e design de interiores, em 1950. Eles se casaram em 28 de março do ano seguinte e passaram a lua de mel na Europa; o casamento durou até a morte de Jorja, em 11 de maio de 1985, após um ataque cardíaco. Ele então casou-se com Alexandra Kostoff, uma publicitária e ex-atriz mirim, em 14 de outubro de 1989 e os dois viveram juntos até a morte dele, em 2007.
Ele teve duas filhas com Jorja, Mary e Alexandra. Alexandra nasceu com espinha bífida e faleceu pouco tempo depois. Depois disso, os dois tentaram adotar um bebê, Elizabeth Aprille, mas uma semana antes de completarem seis meses com ela, a mãe biológica desistiu e a pegou de volta - o que era seu direito apenas até os seis meses. Mary tornou-se escritora e teve duas filhas, Lizy e Rebecca.
Considerado um workaholic, ele trabalhou em diversas áreas, mas afirmou que escrever livros era a sua favorita: "Eu amo escrever livros. Filmes são uma mídia colaborativa, mas quando você cria um livro, está fazendo sozinho. É uma liberdade que não existe em nenhuma outra mídia".
Sheldon sofreu de transtorno bipolar, chegando a tentar o suicídio aos 17 anos.
MORTE
Ele faleceu em 30 de janeiro de 2007, aos 89 anos, devido a complicações causadas por uma pneumonia. Estava no Eisenhower Medical Center, em Rancho Mirage, nas proximidades de sua residência em Palm Springs, ao lado de sua esposa Alexandra e sua filha Mary. Foi então cremado e suas cinzas enterradas no cemitério Westwood Village Memorial Park
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: