“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”

''REVERTERE AD LOCVM TVVM'

'Retornarás de onde vieste'


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

14 de mai de 2019

ANTOINE LAVOISIER - Arte Tumular - 1428 - Picpus Cemetery Paris, City of Paris, Île-de-France, France -

Pai da química moderna


ARTE TUMULAR 
Base tumular em formato de obelisco com o seu nome e datas gravados. Encimando o monumento uma cruz latina.


Local:  Picpus Cemetery Paris, City of Paris, Île-de-France, France
Fotos: Findagrave
Descrição tumular: Helio Rubiales


Antoine Lavoisier
Lavoisier, reconhecido como o "pai" da química moderna
Fundador da química moderna
Nascimento26 de agosto de 1743
Paris
Morte8 de maio de 1794 (50 anos)
Paris
SepultamentoCemitério Picpus
NacionalidadeFrancês
CidadaniaReino da FrançaPrimeira República Francesa
CônjugeMarie-Anne Pierrette Paulze
Alma materFaculdade de Direito de Paris
Ocupaçãoquímicoeconomistabiólogofísico, acadêmico
EmpregadorFerme générale
Magnum opusTraité Élémentaire de Chimieconservação da massa
ReligiãoIgreja Católica
Causa da morteGuilhotinado durante a Revolução Francesa
Assinatura
Antoine Lavoisier Signature.svg
Campo(s)Química



PERSONAGEM
Antoine Laurent de Lavoisier (Paris, 26 de agosto de 1743 — Paris, 8 de maio de 1794) foi um químico francês, considerado o pai da química moderna.
Morreu aos 50 anos.

SINOPSE
Foi eleito membro da Royal Society em 1788. É reconhecido por ter enunciado o princípio da conservação da matéria, apesar de o russo Mikhail Lomonossov tê-lo feito 14 anos antes. Além disso identificou e batizou o oxigênio, refutou a teoria flogística e participou na reforma da nomenclatura química. Célebre por seus estudos sobre a conservação da matéria, foi mais tarde imortalizado pela frase popular:

 “Em uma reação química feita em recipiente fechado, a soma das massas dos reagentes é igual à soma das massas dos produtos.” 

RESUMO BIBLIOGRÁFICO
Nascido em uma família rica em Paris, Antoine Laurent Lavoisier herdou uma grande fortuna com a idade de cinco anos pelo falecimento de sua mãe. Ele foi educado no Collège des Quatre-Nations (também conhecido como Collège Mazarin), de 1754 a 1761, estudando química, botânica, astronomia e matemática. Ele tinha em mente seguir os passos de seu pai e ainda obteve sua licença para praticar a lei em 1764 antes de voltar a uma vida de ciência.

Lavoisier é considerado o pai da química moderna porque foi ele quem descobriu que a água é uma substância composta, formada por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio: H2O. Essa descoberta foi muito importante para a época, pois, segundo a teoria de Tales de Mileto, que ainda era aceita, a água era um dos quatro elementos terrestres primordiais, a partir da qual outros materiais eram formados.

Em 16 de dezembro de 1771 Lavoisier casou-se com uma jovem aristocrata, de nome Marie-Anne Pierrette Paulze. A sua mulher tornou-se num dos seus mais importantes colaboradores, não só devido ao seu conhecimento de línguas (em particular o inglês e o latim), mas também pela sua capacidade de ilustradora. Marie-Anne foi responsável pela tradução, para francês, de obras científicas escritas em inglês e em latim, fazendo ilustrações de algumas das experiências mais significativas feitas por Lavoisier. Ele viveu na época em que começava a Revolução Francesa, quando o terceiro estado (camponeses, burgueses e comerciantes) disputava o poder na França. 

MORTE (Execução)
Em 1769 Lavoisier adquiriu uma participação na Ferme Général, o sistema utilizado naquele tempo na França para a taxação de impostos (em que, essencialmente, a Coroa concessionava essa tarefa a privados). A Ferme Général era um sistema muito impopular na época, principalmente entre os que pagavam impostos. Embora Lavoisier tivesse se retirado desse sistema, a sua ligação à Ferme Général foi causa da sua condenação à morte. Em 17 de setembro de 1793 foi instituída a Lei dos Suspeitos, que permitiu a criação de tribunais revolucionários para julgar possíveis traidores e punir os culpados com a pena de morte. Três dias depois, Lavoisier recebeu um mandado que permitiu o confisco e a selagem dos seus documentos. Mais tarde, os documentos foram devolvidos a Lavoisier, dando-lhe um falso sentimento de segurança. Na Inglaterra, Edmund Burke escreveu sobre o fato e lamentou a morte de um inocente, declarando o lado cego da Revolução Francesa.

Lavoisier foi guilhotinado em 8 de maio de 1794 por ter sido um rendeiro geral, pois que os rendeiros gerais eram muito impopulares por causa das exações que muitos praticavam, sendo todos condenados à guilhotina e Lavoisier foi executado em quarto lugar, num total de vinte e oito. No dia posterior desse julgamento, Joseph-Louis de Lagrange, um importante matemático, contemporâneo de Lavoisier disse: “ Não bastará um século para produzir uma cabeça igual à que se fez cair num segundo".

Fonte: pt.wikipwdia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: