“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

30 de jan de 2016

CHESTER WILLIAM NIMITZ (Comandante) - Arte Tumular - 1049 - Golden Gate National Cemetery San Bruno San Mateo County California, USA

Military offices
Preceded by
William S. Pye
Commander in Chief of the United States Pacific Fleet
1941–1945
Succeeded by
Raymond A. Spruance
Preceded by
Ernest J. King
United States Chief of Naval Operations
1945–1947
Succeeded by
Louis E. Denfeld
Awards and achievements
Preceded by
William Hood Simpson
Cover of Time Magazine
February 26, 1945
Succeeded by
Ibn Saud of Saudi Arabia












Cemitério

ARTE TUMULAR 
Lapide em mármore branco no gramado do cemitério com o seu nome, datas e patentes.


Local:  Golden Gate National Cemetery San Bruno San Mateo County California, USA
Plot: C-1, 1 GPS (lat/lon):37.63327, -122.43303
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
 Chester William Nimitz (24 de Fevereiro de 1885 – 20 de Fevereiro de 1966) foi o Comandante Supremo das Forças do Pacífico dos Estados Unidos e das forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial. Foi a autoridade responsável pelos submarinos norte-americanos, e chefe do Bureau de Navegação da Marinha em 1939. Foi o último Almirante de Frota norte-americano.
Morreu aos 80 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Chester W. Nimitz, filho de Chester Bernhard (falecido antes de ele nascer) e Anna (Henke) Nimitz, nasceu em Fredericksburg, Texas. A sua casa foi convertida num museu. Nimitz foi significativamente influenciado pelo seu avô, Charles H. Nimitz, um ex-marinheiro da Marinha Mercante Alemã.

Originalmente Nimitz tinha esperanças em estudar na Academia Militar dos Estados Unidos em West Point e tornar-se oficial do exército, mas não existiam vagas disponíveis. O seu congressista, James L. Slayden, disse-lhe que tinha uma nomeação disponível para a marinha, e que esta seria atribuída ao candidato melhor qualificado.

Nimitz sentiu que esta era a sua única oportunidade para continuar a estudar e gastou tempo extra a estudar para ganhar a nomeação. Foi nomeado para a Academia Naval dos Estados Unidos do 12.º Distrito Congressional de Texas em 1901, e graduou-se com distinção em 1905, em 7º numa turma de 144.

MORTE
Nimitz sofreu um acidente vascular cerebral, complicado por pneumonia, no final de 1965. Em janeiro de 1966, ele deixou o Hospital Naval dos EUA (Oak Knoll) em Oakland para voltar para casa para seus aposentos navais. Ele morreu na noite de 20 de fevereiro de 1966, em Quarters um em ilha de Yerba Buena em San Francisco Bay. Ele foi enterrado no Golden Gate National Cemetery em San Bruno, Califórnia, em 24 de fevereiro de 1966. Ele foi enterrado com honras militares e situa-se ao lado de sua esposa e seus amigos de longa duração almirante Raymond Spruance, almirante Richmond K. Turner, e o almirante Charles A. Lockwood e suas esposas, um arranjo feito por todos eles, enquanto vivem.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: