“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

30 de mar de 2014

SOPHIE SCHOLL - Arte Tumular - 972 - Friedhof am Perlacher Forst Munich (München) Münchener Stadtkreis Bavaria (Bayern), Germany







ARTE TUMULAR
Placas de mármore com o seu nome e datas em bronze. Tendo na cabeceira tumular duas cruzes de bronze, uma unida a outra, representando os dois irmãos mortos.

Local: Friedhof am Perlacher Forst Munich (München) Münchener Stadtkreis Bavaria (Bayern), Germany
Plot: Section 73, row 1, grave 18/19
Fotos: Geoff Walden
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
Sophia Magdalena Scholl  (Forchtenberg, 9 de maio de 1921 – Munique, 22 de fevereiro de 1943) era membro da Rosa Branca, movimento da resistência alemã antinazista. Foi condenada por traição e executada na guilhotina.
Morreu aos 21 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
É conhecida como uma das poucas alemãs que se opuseram ativamente ao Terceiro Reich durante a Segunda Guerra Mundial e é também vista como um mártir. No início do verão de 1942, Sophie Scholl participou da produção e distribuição de panfletos da Rosa Branca, um movimento de inspiração católica . Foi presa em 18 de fevereiro de 1943 enquanto distribuía o 6º panfleto na Universidade de Munique. Os panfletos eram redigidos e depois copiados sendo, depois, entregues em caixas de correio nas casas de grandes cidades da Baviera (berço do movimento nazista). Esses panfletos continham trechos apocalípticos da Bíblia, para impressionar. Sophie, seu irmão, Hans Scholl, e mais um universitário, Christoph Probst, foram presos em 18 de fevereiro de 1943, depois de o reitor da universidade de Munique os surpreender distribuindo panfletos no pátio da universidade.


A Gestapo os prendeu, os julgou e, menos de quatro horas depois de condenados, foram guilhotinados. Desobedecendo ordens superiores, os carcereiros deixaram os jovens reencontrarem seus pais antes de encontrarem o trágico destino dos opositores ao nacional-socialismo, a morte. Os três são hoje tidos como heróis nacionais alemães. É bom lembrar que, entre fevereiro e outubro de 1943, foram mortos ainda mais 50 integrantes do movimento Rosa Branca.
Ficheiro:Stamps of Germany (DDR) 1961, MiNr 0852.jpg
 Selo postal comemorativo de Hans Scholl e Sophie Scholl, RDA, 1961 
FILMES
Rosa Branca (1982), de Michael Verhoeven. Em fevereiro de 2005 foi lançado um filme sobre Sophie Scholl, Sophie Scholl – Die letzten Tage (Sophie Scholl - Os Últimos Dias), com a atriz Julia Jentsch interpretando a universitária.
MORTE
Executada na guilhotina.
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: