“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

21 de nov de 2013

LUIGI CHIAFARELLI - Arte Tumular - 946 - Cemitério da Consolação, São Paulo, Brasil








ARTE TUMULAR



Base tumular em granito rústico retangular, com outras duas bases em níveis diferentes, onde em uma delas está as inscrições do maestro. Na base retangular baixa, ergue-se uma escultura em bronze , feita em 1926, representando Euterpe, a doadora de prazeres do grego “ eu” (bom, bem) e ” terpe” (dar prazer), foi uma das nove musas da mitologia grega, filha de Zeus e Mnemósine. Era a musa da música. A musa é representada aqui, no despojamento de uma nudez que torna mais intenso o sentido da dor e do choro. Euterpe debruça-se sobre o tumulo do maestro com as duas mãos no rosto, tentando romper o planto, enquanto as suas duas tranças pendem para baixo (infelizmente as tranças da escultura foram quebradas por vândalos). Aos seus pés uma lira sobreposta no tumulo como alegoria à música.
TITULO DA OBRA: Euterpe (mitologia grega)
AUTOR: Nicola Rollo (Bari, Itália,1889-São Paulo, 1970) O vigor expressionista do artista mostra que a arte é sobretudo emoção, é o que nos transmite a escultura.
LOCAL: Cemitério da Consolação, São Paulo
Rua 11, Terreno 36,
Fotos: Roberto Ripoli
Descrição tumular:Helio Rubiales

PERSONAGEM
Luigi Chiafarelli (Isernia, Itália, 2 de setembro de 1856 – São Paulo,16 de junho de 1923), músico, pianista , maestro e professor radicado no Brasil.
Morreu aos 67 anos de idade.
BIOGRAFIA
Chiaffarelli foi um dos maiores professores de piano que o Brasil jamais teve. Descendia de uma família de músicos. Avô, pai, tios, irmãos, todos professavam música. Seu pai foi o primeiro professor, representante da escola napolitana do piano. Muito cedo, ingressou Chiaffarelli na vida musical. Regeu bandas e orquestras, compôs à. vontade, porém o pianoforte constituiu sua autêntica e incoercível vocação artística. Em Bolonha, sob a pedagogia de Gustavo Toffano (1844-1899), estudou afincadamente, enquanto Siegmund Lebert (1822-1884), professor do Conservatório de Música de Estugarda, Alemanha, autor de um célebre "Grande Mëthode du Piano" , tornou-se influência decisiva em sua carreira. Bacharel em Letras, professor de italiano, francês, alemão, Chiaffarelli dominava treze idiomas. Aportou ao Brasil a 15 de agosto de 1880, radicando-se definitivamente em São Paulo.
Dentre outras foi professor das consagradas pianistas Guiomar Novaes e Antonieta Rudge
MORTE
Morreu em São Paulo no dia 16 de junho de 1923
Formatação e pesquisa: Helio Rubiales

Nenhum comentário: