“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

21 de out de 2013

SANTA CATARINA DE BOLONHA Arte Tumular - 904 - Corpus Domini Bologna Provincia di Bologna Emilia-Romagna, Italy







ARTE TUMULAR 
Altar em mármore protegido por barras metálica e vidros especiais protege o corpo incorrupto da santa.

Por mais de quinhentos anos o corpo incorrupto de Santa Catarina de Bolonha, sentada como se estivesse viva, sustentada pela sua mesma coluna vertebral, continua a desafiar as leis da física e da química, atraindo ao Mosteiro do Corpus Domini de Bolonha peregrinos de todo o mundo. 
 Local: Corpus Domini Bologna Provincia di Bologna Emilia-Romagna, Italy
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
Catarina de Vigri ou Santa Catarina de Bolonha (Bolonha, 8 de setembro de 1413 — Bolonha, 9 de março de 1463) foi uma freira e santa italiana.
Morreu aos 49 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
 Era filha de um diplomata. A tradição diz que seu pai recebeu uma visão dizendo a ele que ela iria nascer. Dama de honra da filha de uma marquesa, Catarina recebeu a mesma educação e treinamento de sua patroa. Fez-se franciscana terciária com 14 anos; a seguir, freira das Clarissas Pobres e madre das noviças. Estabeleceu um convento de Clarissas Pobres em Bolonha em 1456, e lá serviu como abadessa. Mística, fazia milagres e ainda era profetisa e visionária. Também era pintora e decifrava manuscritos como se estivesse iluminada por um anjo. Em um dia de Natal recebeu uma visão de Jesus nos braços de Maria. Esta visão ela pintou em um quadro que se encontra no Museu do Vaticano.
Na arte litúrgica da Igreja, Santa Catarina é mostrada como uma clarissa pobre carregando o Menino Jesus, ou em um trono com um livro, ou com uma cruz sobre seu peito, e descalça. É padroeira da Academia de Arte de Bolonha, dos artistas das belas-artes. Foi canonizada em 22 de maio de 1712 pelo Papa Clemente XI
MORTE
 Faleceu na cidade natal, foi enterrada sem caixão e não foi embalsamada. Exumada dezoito dias depois, devido a milagres que ocorriam junto de sua tumba, o odor de perfume exalou de seu túmulo e o seu corpo estava incorrupto. Diante disso, foi chamado o doutor Maestro Giovanni Marcanova que examinou o corpo e não pode explicar o fato. Assim seu corpo foi vestido com roupa limpa e foi colocado em uma cadeira, em uma capela especial, atrás de barras e vidros onde está até hoje.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

.

Nenhum comentário: