“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

14 de out de 2013

OLGA NIKOLAEVNA ROMANOVA - Arte Tumular - 894 - Petropavlovskaya Krepost ,St. Petersburg, Russian Federation

 







ARTE TUMULAR
 Numa sala do saguão central da Catedral foi reservada para o Czar e sua Família. Sobre uma base facetada, quase rente ao piso, do lado esquerdo da sala, suporta a urna de mármore branco com o tampo com as laterais facetadas e uma cruz ortodoxa na parte central, guarda os restos mortais da família. Na parte frontal da urna encontram-se as inscrições imperiais. Na parte central, próximo da urna há uma base decorada em madeira suportando um quadro da família. Na parede frontal , duas placas de mármore branco com letras douradas relaciona o nome dos mortos no assassinato. Sobre essas duas placas se impõe o brasão de armas do Czar. Nessa mesma parede, de cada lado há mais duas placas com os feitos do Czar. As paredes laterais, cada uma, também tem uma placa. Para completar o cenáculo a decoração com fotos e flores. 
LOCAL:Petropavlovskaya Krepost ,St. Petersburg, Russian Federation
Fotos: Emily Greere
Descrição Tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
Grã-duquesa Olga Nikolaevna Romanova da Rússia (em russo: Великая Княжна Ольга Николаевна Романовa; transl.: Velikaya Knyaginya Olga Nikolaevna Romanova)(São Petersburgo, 12 de Agosto de 1904 - Ekaterinburgo, 17 de Julho de 1918); foi uma grã-duquesa do Império Russo e a primeira filha do tsar (Imperador) Nicolau II Romanov e da tsarina(Imperatriz) Alexandra Feodorovna de Hesse, nascida no dia 15 de Novembro de 1895 (3 de Novembro de acordo com o Calendário Antigo) no Palácio de Alexandre em Czarskoe Selo, São Petersburgo. Entre os seus padrinhos encontrava-se a sua bisavó, a Vitória do Reino Unido.
Morreu aos 22 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Detalhes bibliográficos: http://pt.wikipedia.org/wiki/Olga_Nikolaevna_Romanova

Durante a sua vida, o futuro casamento de Olga foi alvo de grande especulação na Rússia e houve rumores de que ela estaria ligada ao seu primo, grão-duque Dmitri Pavlovich Romanov, ao príncipe Carlos von Hohenzollern-Sigmaringen, depois rei Carlos II da Roménia, ao príncipe Eduardo de Gales e com o príncipe Alexandre da Sérvia. O assassinato de Olga após a revolução russa de 1917, resultou na sua canonização como Portadora da Paixão pela Igreja Ortodoxa Russa. Nos anos que se seguíram à sua morte, várias pessoas fizeram-se passar por sobreviventes da família imperial e Olga não foi exceção. Uma mulher chamada Marga Boodts afirmou ser a Grã-Duquesa mais velha, mas nunca foi levada a sério. Os seus restos mortais foram identificados através de testes ADN (DNA) nos anos 1990 e foram enterrados juntamente com os dos seus pais e duas das suas irmãs na Catedral do Forte Pedro e Paulo em São Petersburgo em 1998
Família Imperial Russa
.
EXÍLIO E MORTE
Olga e a sua família foram presos após a abdicação do pai Nicolau II devido à Revolução de Fevereiro de 1917. Primeiro no Palácio de Alexandre, depois em Tobolsk e, finalmente, em Ekaterinburgo. Durante o tempo em que esteve presa com o resto da família, Olga tentou dar conforto aos seus pais e irmãos.35 Há relatos de que o seu pai lhe deu um pequeno revólver que ela escondia num sapato durante o tempo em que estiveram presos em Czarskoe Selo e Tobolsk, no entanto, o coronel Eugene Kobylynsky aconselhou-a a deixar a arma para trás antes de a família partir para Ekaterinburgo, ao que a Grã-Duquesa assentiu relutantemente.
Local onde foram executados (veja marcas de tiros na parede)

Durante os seus últimos meses, Olga esteve profundamente deprimida e perdeu uma grande quantidade de peso. Olga foi forçada a assistir à morte da sua adorada irmã Tatiana (que se encontrava ao seu lado) antes de ela própria ser morta com o resto da família, na noite de 17 de Julho de 1918.40 Já depois da sua morte, o seu antigo tutor, Pierre Gilliard, descobriu uma oração escrita por ela dentro de um livro que ele tinha conseguido resgatar da "Casa Para Fins Especiais" Olga Nikolaevna foi assassinada com 22 anos de idade. Encontra-se sepultada na Fortaleza de Pedro e Paulo, São Petersburgo na Rússia
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: