“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

14 de out de 2013

DANIEL PROFETA - Arte Tumular - 891 - Santuário em Susa, Irã







ARTE TUMULAR
O túmulo de Daniel é o lugar do enterro tradicional do profeta bíblico Daniel. Várias posições têm sido nomeado para o local, mas o túmulo em Susa, no Irão, é o mais amplamente aceito, sendo mencionada pela primeira vez por Benjamin de Tudela, que visitou a Ásia entre 1160 e 1163.
Entretanto, a versão mais aceita por parte de judeus e muçulmanos e até um certo número de cristãos, para quem o personagem é muito importante, é a de que seus restos mortais estão em Susã, no atual Irã. Há documentos persas do século 7 que atribuem à cidade o destino final do corpo de Daniel, em um santuário com teto em forma cônica, visível de qualquer ponto da urbe
Local: Santuário em Susa, Irã 
Foto:Daniel Barry Kent

PERSONAGEM
 Daniel (em hebraico: דָּנִיּאֵל) é um dos vários profetas do Antigo Testamento. A sua vida e profecias estão incluídas na Bíblia no Livro de Daniel.
Morreu aos 85 anos de idade.
SINOPSE
O significado do nome é "Aquele que é julgado por Deus" ou "Deus assim julgou", ou ainda, "Deus é meu juiz" Na narrativa, quando Daniel era um jovem, ele foi levado em cativeiro babilônico, onde foi educado no pensamento caldeu. No entanto, nunca se converteu aos costumes neo-babilônicos. Pela Sabedoria Divina de seu Deus, YHVH, ele interpretou os sonhos e visões de reis, tornando-se uma figura proeminente na corte de Babilônia. Eventualmente, ele tinha visões apocalípticas de sua autoria que foram interpretadas como as Quatro monarquias. Alguns dos contos mais famosos de Daniel são: Sadraque, Mesaque e Abednego, A escrita na parede e Daniel na cova dos leões.
MORTE
Não existem registros da data e circunstâncias de sua morte. Mas ele possívelmente morreu em Susa, com oitenta e cinco anos, onde existe uma provável tumba onde estaria seu corpo, este lugar é conhecido como 'Shush-Daniel'.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: