“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

29 de out de 2013

CLEYDE YÁCONIS - Arte Tumular - 918 - Cemitério Minucipal de Cajamar, Cajamar, São Paulo, Brasil






ARTE TUMULAR
Túmulo em granito natural, de formato retangular, em linha reta, formando um rebaixamento na lateral formando um degrau. Na cabeceira tumular uma pequena cruz latina, também de granito.

Local: Cemitério Minucipal de Cajamar, Cajamar, São Paulo
Fotos: http://www.alemdaimaginacao.com/Obituario%20da%20Fama/Aricle%20Perez/aricle_perez.html
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
Cleyde Becker Iaconis (nome artístico: Cleyde Yáconis ; Pirassununga, 14 de novembro de 1923 — São Paulo, 15 de abril de 2013)  foi uma atriz brasileira.
Morreu aos 89 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Iniciou sua carreira no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) ao lado da irmã, a atriz Cacilda Becker. Tem um dos repertórios teatrais mais variados e ilustres da dramaturgia nacional. Para Cleyde, sempre foi normal a escalação para interpretar personagens de mais idade que a sua própria, talvez devido à sua voz de contralto e suas feições graves. Participou ativamente em produções de teatro e televisão, mas em cinema atuou muito pouco em mais de meio século de carreira.
Seu último papel na TV foi a divertida Dona Brígida Gouveia, na novela Passione, de Sílvio de Abreu, exibida pela Rede Globo. Dentre seus trabalhos na televisão, destacam-se Mulheres de Areia, Os Inocentes, Gaivotas, Ninho da Serpente, Rainha da Sucata, Vamp e Torre de Babel. Em 29 de setembro de 2009, o antigo Teatro Cosipa Cultura passou a chamar-se Teatro Cleyde Yáconis, em homenagem à atriz que protagonizou a primeira peça montada na casa – O Caminho para Meca. Em julho de 2010 se afastou de Passione por ter quebrado o fêmur. Voltou as gravações no dia 12 de agosto. Devido a complicações que teve no implante da prótese em seu fêmur, a atriz ficou afastada das gravações da novela por pelo menos 15 dias  .
MORTE
Morreu no Hospital Sírio Libanês em São Paulo, devido à complicações provocadas por Isquemia.onde se encontrava internada desde outubro de 2012
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Um comentário:

Antonio Carlos Cardoso disse...

Bom dia.
O link das fotos do site Além da Imaginação está acessando a página de Ariclê Perez, e não de Cleyde Yáconis.

Está errado.

At.