“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

1 de set de 2013

MAURICE GIBB - Arte Tumular - 845 - Cremado



 




Seu corpo foi cremado e suas cinzas foram guardadas por sua família


PERSONAGEM
Maurice Ernest Gibb CBE (Douglas, Ilha de Man, 22 de dezembro de 1949 — Miami, 12 de janeiro de 2003) foi um cantor, compositor, pianista, guitarrista, baixista, tecladista, multi-instrumentista britânico, conhecido principalmente por ser um membro dos Bee Gees, um dos grupos de maior sucesso de todos os tempos. Gêmeo de Robin Gibb, Maurice era o mais novo por 35 minutos.  Ao lado de seus irmãos Robin e Barry, Maurice, principal arranjador dos Bee Gees, ajudou a fazer da banda uma das de maior sucesso de todos os tempos, conhecida em todo o mundo pela trilha sonora do filme Os Embalos de Sábado à Noite, de 1977.
Morreu aos 53 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Foi um dos mais reconhecidos pianistas e tecladistas de todos os tempos, arranjando diversas músicas dos Bee Gees. Durante muito tempo, Maurice se dedicou mais em tocar Baixo, instrumento que tocava com uma eficiência única. Outro instrumento que destacou-se muito foi a Guitarra, instrumento que tocava com excelência. Era considerado um guitarrista excepcional, com um som moderno e inovador, arranjando diversas cancões do grupo, entre elas:
" This Is Where I Came In",
"She Keeps On Coming",
"Man in the Middle",
 "Walking on Air",
sendo as duas últimas, composições individuais de Maurice Gibb. Assim como os irmãos, Maurice, embora quase nunca usasse, tinha um falsete perfeito, fato que pode ser comprovado nas partes finais da música "Nights on Broadway" cantada ao vivo, onde Maurice faz os falsetes enquanto Barry e Robin fazem o coro. Na versão "estúdio", os falsetes ao final da música "Nights on Broadway" são feitos por Barry.

VIDA PESSOAL
Na vida pessoal Maurice era considerado, além de musico competente (tocava quase todos instrumentos), o "ponto de equilíbrio" entre as mentes opostas de Barry e Robin. Era muito brincalhão no palco, mas, como todos, tinha seus pontos fracos: passou 30 anos da sua vida alcoólatra, vício do qual só se viu livre em 1989. Maurice Gibb casou-se com a cantora Lulu em 18 de fevereiro de 1969. Entretanto, o casamento não durou muito e eles se divorciaram em 1973, sem deixar filhos. Maurice depois casou-se com Yvonne Spenceley em 17 de outubro de 1975, com a qual teve dois filhos: Adam Gibb, nascido em 23 de março de 1976, e Samantha Gibb, nascida em 2 de junho de 1980.

Bee Gees em 1978 (de cima para baixo) Barry, Robin e Maurice Gibb

.
MORTE
Em 2003, aos 53 anos, estava fazendo uma cirurgia de desobstrução intestinal, mas sofreu um ataque cardíaco; então, levaram-no para a UTI. Muitos fãs dos Bee Gees ficaram na porta do hospital esperando notícias de melhora, mas Maurice não resistiu e faleceu no Centro Médico Mount Sinai, em Miami, no domingo de 12 de janeiro, quando sua irmã mais velha, Lesley, faria aniversário de 58 anos.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales


Nenhum comentário: