“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

25 de mai de 2012

PEDRO INFANTE - aArte Tumular - 759 - Panteón Jardín Mexico City Distrito Federal, Mexico




ARTE TUMULAR
Base tumular em granito, tendo un nicho formando uma pequena capela com uma imagem da Virgem de Guadalupe. Muitas frase homenageando o ator em várias partes do túmulo. Na parte inferior esculpido em mármore um livro aberto, representando a crença na palavra de Deus.
Local: Panteón Jardín Mexico City Distrito Federal, Mexico
Fotos:José L.Tronchoni
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
José Pedro Infante Cruz (18 de novembro, 1917 -15 de Abril, 1957), mais conhecido como Pedro Infante, é talvez o mais famoso ator e cantor do chamado anos dourados do cinema mexicano e foi ídolo do povo Mexicano, junto com Jorge Negrete e Javier Solís, que eram chamados de Tres Gallos Mexicanos (Os Três Galos Mexicanos ).
 Morreu aos 39 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Ele nasceu em Mazatlán, Sinaloa, Mexico e radicou-se em Guamúchil. Sua Carreira cinematográfica começou em 1939 e durante a sua carreira atuou em mais de 60 filmes, e, a partir de 1943, gravou cerca de 350 músicas. Por sua atuação no filme Tizoc, Ele foi agraciado com o urso de plata de 1957 Festival internacional de cinema de Berlim de melhor ator. Filho de Delfino Infante García, que tocava contrabaixo em uma banda, e Refugio Cruz Aranda, ele foi o terceiro de quinze filhos, dos quais nove sobriviveram. Embora a família Infante Cruz tenha permanecido por algum tempo em Mazatlán, no início de 1919 mudou-se para Guasave. Mais tarde, em 1920, foram para Rosário, Sinaloa. Na adolescência, Infante mostrou talento e inclinação pela música. Aprendeu a tocar instrumentos de corda, sopro e percussão em pouco tempo. Foi estudante de guitarra de Carlos R. Hubbard.
MORTE
Morreu em 15 de abril de 1957, em Mérida, Yucatán, em um desastre aéreo durante um vôo em que ele mesmo pilotava a caminho da Cidade do México.
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

2 comentários:

Méon disse...

Caro bloguista

O seu blogue é muito interessante, já o tenho visitado com alguma regularidade.
Trata um tema pouco usual e mostra-nos um tipo de arte de grande valia e quase sempre desconhecida. Parabéns!

Há um pormenor que falha: é a transcrição latina da célebre frase "Memento homo quia pulvis es et in pulverem reverteris"

Se reparar bem, a sua transcrição tem alguns erros... Não custa nada emendar e o blogue fica ainda melhor :)

Saudações

J. Moedas Duarte

hrubiales disse...

Caro amigo.

Muito obrigado pela observação nos erros da transcrição latina. Há muito tempo esta nessa forma e graças a sua intervenção a mesma foi corrigida.

Saudações
Helio Rubiales