“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

16 de mar de 2012

FEDOR VON BOCK - Arte Tumular - 728 - Friedhof Lensahn ,Oldenburg,Lower Saxony (Niedersachsen), Germany





ARTE TUMULAR
Cruz latina em granito com o seu nome e datas gravados.

Local: Friedhof Lensahn ,Oldenburg,Lower Saxony (Niedersachsen), Germany
Fotos: Frankie
Descrição tumular: Helio Rubiales

PERSONAGEM
Fedor von Bock (3 de dezembro de 1880 - 4 de maio de 1945) foi um Marechal-de-Campo alemão que combateu na Segunda Guerra Mundial, onde comandou o Grupo de Exércitos Centro no ataque a Rússia, na Operação Barbarossa. Embora reprovasse o nazismo, von Bock sempre se manteve distante de questões políticas, tanto nas tratativas com os dirigentes nazistas tanto com os conspiradores.
Morreu aos 64 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Nascido em Küstrin, Alemanha, ingressou no Exército em 1898, como Segundo-tenente. Na Primeira Guerra Mundial, inicialmente com a patente de capitão, integrou o Estado-Maior do Exército. Agraciado com a Pour le Mérite, von Bock terminou o conflito com a patente de Major, como Chefe de Operações do Estado-Maior do Grupo de Exércitos Deustscher Kronprinz. Ao longo do conflito, von Bock ainda acumulou diversas funções burocráticas e de gabinete, ao invés de comandar diretamente unidades de campo.
Após o fim do conflito, permaneceu na ativa, onde foi transferido para o Estado-Maior do Exército. Em 1920, alcançou a patente de tenente-coronel, como Chefe do Estado-Maior do Wehrkreis III. Ao longo da década de 1920, von Bock foi galgando posições no Exército. Em 1924, comandou o II. Batalhão do 4º Regimento de Infantaria; depois, já com o posto de Coronel, ingressou no Estado-Maior desse mesmo regimento, para logo depois se tornar o comandante. Em 1931, von Bock foi transferido para Stettin, onde assumiu o comando da 2º Divisão e do Wehrkreis II, cargo que ocupou até 1935, com a tomada do poder pelos nazistas e a consequênte reformulação completa do Reichswehr.
NAZISMO
Em 1935, com a criação da Wehrmacht, von Bock ascendeu de forma mais rápida na hierarquia militar, tornando-se General der Infanterie em 1935 e Generaloberst (General de Grupo de Exércitos) em 1938. Em junho de 1941, recebeu de Hitler, juntamente com outros 12 Generais, o posto de Generalfeldmarschall (Marechal de Campo), em tese a patente mais alta do Exército Alemão. Ao início da guerra, junto com Gerd von Rundstedt, Ritter von Leeb e Kleist, von Bock era um dos mais antigos e experientes comandantes de campo.
Em 1938, von Bock coordenou a invasão da Tchecoslováquia. Em 1939, na invasão da Polônia, comandou o Grupo de Exércitos Norte, que invadiu a Polônia pelo noroeste, com o 4º Exército e pela Prússia, com o 3º Exército, alcançando em duas semanas a capital polonesa, Varsóvia, cercanco-a. Varsóvia ainda resistiu por duas semanas ao cerco alemão, mas o destino da batalha já estava definido assim que as tropas alemães quebraram a linha defensiva do inimigo, levando suas forças ao colapso. Pela atuação destacada na campanha polonesa, von Bock foi agraciado, ao fim da campanha, com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro (Ritterkreuz des Eisernen Kreuzes em alemão).
MORTE
Após a demissão, ocorrida em 19 de novembro, von Bock, que já estava com a saúde debilitada, ficou afastado do serviço ativo por um ano, quando assumiu o Grupo de Exércitos Sul e, depois, o Grupo de Exércitos B. A permanência, no entanto, foi curta, pois seis meses depois von Bock se afastou novamente por motivos de saúde. Depois desses cargos, von Bock não mais retornou ao serviço ativo. Em maio de 1945, foi seriamente ferido em um ataque aéreo realizados por caças britânicos. Veio a falecer no dia seguinte, em 4 de maio de 1945, com 64 anos.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: