“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

21 de fev de 2012

JOSEPH GOEBBELS - Arte Tumular - 729 - (Ignorado)




Corpos encontrados pelas tropas russa
Corpo carbonizado de Goebbels
Goebbels e seus seis filhos

Inicialmente, logo após a autopsia executada pelas autoridades russas, foi enterrado juntamente com a sua esposa e filhos num local não revelado na Alemanha Oriental. Segundo relatos, os restos mortais da família foram removidos em 1982 (alguns relatos dizem que isso aconteceu logo em 1970), a pedido de  Yuri Andropov, secretário-geral da URSS, 1982-84.
Andropov, ex-chefe da KGB, temendo que Neo-nazista pudessem descobrir a localização do sepultamento,
determinou que os restos mortais fossem cremados e as cinzas jogadas num afluente próximo ao rio Danúbio 
Local: Ignorado
Fotos: segundaguerra.com

PERSONAGEM
Paul Joseph Goebbels (Mönchengladbach, 29 de outubro de 1897 — Berlim, 1 de maio de 1945) foi o ministro da Propaganda de Adolf Hitler (Propagandaminister) na Alemanha Nazista, exercendo severo controle sobre as instituições educacionais e os meios de comunicação.
Morreu aos 47 anos de idade.
SINOPSE
Foi uma figura-chave do regime, conhecido por seus dotes retóricos. Era um dos líderes políticos nazistas mais destacados que tinham concluído estudos superiores. Teve uma posição correspondentemente importante entre os nazistas.
Um dos primeiros e ávido apoiante da guerra, Goebbels fez tudo em seu poder para preparar o povo alemão para um conflito militar em larga escala. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele aumentou o seu poder e influência através de alianças, deslocando dirigentes nazistas. Em finais de 1943, a guerra estava virando contra os poderes do Eixo, mas isso só fez Goebbels estimular a intensificar a propaganda, exortando os alemães a aceitar a ideia de guerra total e de mobilização. Goebbels permaneceu com Hitler em Berlim até o fim, e na sequência do suicídio do Führer, foi indicado por ele para servir como Chanceler do Reich, ao qual o foi, por apenas um dia.
BIOGRAFIA (Resumida)
Filho do contador Friedrich Goebbels e de sua esposa Marian (nascida Oldenhausen), nasceu em Rheydt (hoje Mönchengladbach) na Renânia numa família católica. Em vez de se tornar padre, como queriam seus pais, ele estudou literatura e filosofia. Quando se ofereceu como voluntário para o serviço militar no início da Primeira Guerra Mundial, foi rejeitado por ter uma perna 10 centímetros mais curta do que a outra, em virtude de, quando criança, ter sofrido intervenção cirúrgica no fêmur, comprometido por um ataque de osteomielite.
Finda a Primeira Guerra Mundial, Goebbels vive uma crise existencial. Esteve desempregado muito tempo, apesar do seu diploma. Escreveu algumas obras de poesia, embora fosse rejeitada a sua publicação.
Rejeitava o capitalismo, a democracia, que ele associava ao caos político da Alemanha na República de Weimar. Desprezava a modernidade. Torna-se um antissemita fanático. Rejeitou mesmo uma moça com quem namorava (Else Janke) quando soube que ela tinha mãe judia. Para ele, os judeus e os comunistas eram os culpados da crise económica e política. Nestes anos, Goebbels teve um emprego como funcionário bancário, ao qual não dava grande importância. Ele estava num processo de busca e viu finalmente em Hitler a pessoa que incorporava as suas ideias e esperanças.
Em 1922, Goebbels inscreveu-se no Partido Nazista, sendo o mais fervoroso de todos os apoiantes de Hitler, sendo mesmo ele um dos que ficou junto do seu Führer durante os seus últimos dias de vida. Era o chefe da propaganda, e a sua fabulosa capacidade de organizar movimentos e de exprimir as ideias Nazistas levou-o a ser o segundo homem mais importante da era Nazi.Foi o primeiro homem a utilizar a expressão Heil Hitler.
ASSASSINATO DOS FILHOS
Em suas últimas horas, sugere-se que Goebbels permitiu a sua mulher, Magda, matar os seus seis filhos pequenos.

Na madrugada do dia 1º de maio de 1945 foi dito às crianças que elas deixariam o bunker pela manhã. No mesmo dia Magda conseguiu grandes quantidades de morfina, que ela aplicou em seus seis filhos, (Helga, Hilde, Helmut, Holde, Hedda e Heide) e em seguida envenenou-os com cianureto. Notem o fanatismo de Goebbels, dando nome aos filhos sempre começando com "H" de Hitler. No dia 3 de maio de 1945, um dia após as tropas russas encontrarem os corpos queimados, as seis crianças foram encontradas em suas camas, vestidas como para uma festa. As meninas usavam laço de fita no cabelo.

MORTE
Tal como ocorreu com os últimos minutos de Hitler, os detalhes da morte da família Goebbels não foram esclarecidos. Ainda que esteja comprovado o envenenamento com cianureto, alguns asseguram que se terá suicidado com uma arma de fogo; de qualquer forma, ao serem encontrados pelos soviéticos, seus corpos estavam carbonizados demais para se determinar o que havia acontecido
Após matar as crianças, ela e seu marido Joseph Goebbels também tomaram o cianureto.
Os corpos de Goebbels e sua esposa, a exemplo de Adolf Hitler e Eva Braun, foram queimados próximos a chancelaria do Reich, com a ajuda dos seus guarda-costas da SS.
Fonte: pt.wikipedia.org, segundaguerra.org
Formatação: Helio Rubiales


Nenhum comentário: