“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

6 de ago de 2011

PETER FALK - Arte Tumular - 525 - Westwood Memorial Park, Los Angeles, California, USA




 ARTE TUMULAR
Base retangular com cerca de 50 cm. de altura preenchida por um gramado. Na cabeceira tumular, pedra em formato retangular, ainda sem as inscrições.
Local: Westwood Memorial Park, Los Angeles, California, USA
Fotos: Scott Michaels
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Peter Michael Falk (Nova Iorque, 16 de setembro de 1927 — Beverly Hills, 23 de junho de 2011) foi um ator americano famoso pelo seu papel em Columbo, uma série policial de TV, sucesso mundial na década de 1970, na qual desempenhava o papel do detetive Columbo, um tenente da Polícia de Los Angeles que descobria e resolvia em cada episódio um mistério relacionado com um assassinato
Morreu aos 83 anos de idade.
BIOGRAFIA
Nascido em Nova Iorque, Falk era filho de Michael Peter Falk, dono de uma loja de roupas e produtos secos, e sua esposa, Madeline (nascida Hockhauser), uma contadora e gerente de compras. Sua família era judia, seu pai de ascendência russa e sua mãe de ascendência polonesa, com raízes húngaras e tchecas. Perdeu o olho direito aos três anos por causa de um retinoblastoma, substituindo o órgão por um olho de vidro. Apesar disso, Falk participou de esportes coletivos, principalmente beisebol e basquete, quando garoto. Ele estudou na Ossining High School, no Condado de Westchester, Nova Iorque, onde era atleta e presidente de sua classe sênior. Depois de terminar o colegial em 1945, participou brevemente do Hamilton College, em Clinton, Nova Iorque, e depois tentou unir-se às Forças Armadas já que a Segunda Guerra Mundial estava chegando ao fim. Rejeitado por causa de seu olho de vidro, ele se juntou à Marinha Mercante dos Estados Unidos, e serviu como cozinheiro e copeiro. "Lá eles não se importam se você é cego ou não", disse Falk, em 1997. "O único em um navio que tem que enxergar é o capitão. E no caso do Titanic, ele não conseguia ver muito bem, também". Falk lembra desse período em sua autobiografia:
Depois de um ano e meio na Marinha Mercante, Falk voltou a Hamilton College e também estudou na Universidade de Wisconsin. Ele se transferiu para a New School for Social Research (Nova Escola para Pesquisa Social), em Nova Iorque, que lhe concedeu um diploma de bacharel em literatura e ciência política em 1951. Ele, então, viajou pela Europa e trabalhou em uma estrada de ferro na Iugoslávia durante seis meses. Retornou à Nova Iorque, matriculando-se na Universidade de Syracuse, mas lembrou-se nas memórias de 2006, Just One More Thing (Só Mais Uma Coisa), que não sabia o que queria fazer com sua vida por anos depois de deixar o ensino médio. Falk obteve o mestrado em Administração Pública na Escola Maxwell da Universidade de Syracuse, em 1953. O programa foi criado para treinar funcionários para o governo federal, uma carreira que Falk disse em suas memórias que não nutria "nenhum interesse e nenhuma aptidão". Ele se candidatou para trabalhar na CIA, mas foi rejeitado por ter pertencido à União Internacional Litorânea e de Armazém enquanto servia na Marinha Mercante. Falk, então, tornou-se um analista de gestão na Secretaria de Orçamento do Estado de Connecticut em Hartford. Ele caracteriza seu trabalho em Hartford como um "especialista em eficiência". "Eu era tão perito de eficiência que na primeira manhã no emprego, eu não consegui encontrar o prédio onde eu tinha que entregar um relatório no trabalho", disse em 1997.
MORTE
Falk sofria de Alzheimer e morreu deixando mulher e duas filhas
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: