“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

29 de ago de 2011

MANOLETE - Arte Tumular - 599 - Cementerio de Nuestra Señora de la Salud Córdoba, Andaluzia, Espanha




ARTE TUMULAR

Foi sepultado  em 29 de agosto no panteão da  família Puerta de Sánchez, amigos próximos do matador, onde permaneceu por mais de quatro anos. Em  15 de outubro de 1951, seus restos mortais foram transferidos para o Mausoléu de Manolete , concluído nesse ano  pelo escultor Amadeo Ruiz Olmos. Um grande monumento onde na parte central se destaca uma laje de mármore branco com a escultura de Manolete deitado. Na cabeceira tumular dividida em três segmentos, sendo que no central destaca-se uma esculturam, também de mármore branco em relevo  caracterizando a figura de Cristo, ladeado por duas esculturas, também em relevo em bronze. Encimando uma grande cruz com um Cristo crucificado.
No piso da parte frontal  destaca-se a lápide em mármore com o deu nome e datas gravados.
Local: Cementerio de Nuestra Señora de la Salud Córdoba, Andaluzia, Espanha
Fotos: José L.Barnabpe Tronchoni e Colmenales Lima
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Manuel Laureano Rodríguez Sánchez , mais conhecido como Manolete ( Córdoba , 04 de julho de 1917 - Linares , Jaén , 29 de agosto de 1947 ) foi um dos maiores toureiros da Espanha na década de 1940.
Morreu aos 30 anos de idade.
SINOPSE
Sua morte na Praça de toros de Linares , causada pela chifrada profunda que atingiu o touro miura Islero no momento que ele entrava para mata-lo. Ele se tornou uma lenda na Espanha durante o período pós-guerra.
BIOGRAFIA
Manolete era filho de um toureiro (também apelidado de Manolete ) e Dores Sanchez, mais conhecida como "Doña Angustias".
Quarto califa de touradas é visto por muitos como um dos maiores mestres de todos os tempos. Seu estilo elegante, vertical, desenvolveu a arte da muleta (capa vermelha) , toreando de frente e de perfil. Criou a máxima expressão na evolução de José Gómez "Joselito" e a estética de Juan Belmonte , que tinha modificado o método de tourada algumas décadas antes. Sua influência foi enorme, porque seu estilo foi usado por todos os toureiros mais tarde. Em junho de 1932, teve um breve período na escola Bujalance de touradas (Córdoba).
Ele tomou a opção em 2 de julho de 1939, em La Maestranza , em Sevilha . Confirmou a escolha do método em Las Ventas em Madrid, em 12 de Outubro 1939 . Sua melhor tourada deu-se em Las Ventas abatendo o touro " Raton ", em 1944. Sua última apresentação tem lugar em Madrid em 16 de julho de 1947 na tradicional corrida da Caridade , dirigido por Francisco Franco .

MORTE
Em 28 de agosto de 1947 foi apresentado na praça de touros de Linares , com Luis Miguel Dominguin e Gitanillo Triana . Naquela tarde, ele recebeu uma chifrada fatal de um Miura quase 500 kg chamado Islero , que passou um de seus chifres na coxa direita, quebrando o triângulo femoral . A lesão causou-lhe sangramento incessante, morrendo na madrugada seguinte.
Fonte: es.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: