“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

25 de ago de 2011

ELLA FITZGERALD - Arte Tumular - 577 - Inglewood Park Cemetery ,Inglewood,Los Angeles County,California, USA







ARTE TUMULAR
No jardim do Mausoléu, no segundo piso do Santuário dos Sinos está a cripta da cantora. Uma placa de mármore com uma placa de bronze com o seu nome e ano de nascimento e morte.

Local: Inglewood Park Cemetery ,Inglewood,Los Angeles County,California, USA
Plot: Sunset Memorial Garden Mausoleum, Second Floor, Sanctuary of the Bells, Crypt 1063
Fotos: Curtis Jackson
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Ella Jane Fitzgerald (Newport News, 25 de abril de 1917 — Beverly Hills, 15 de junho de 1996) também conhecida como a "Primeira Dama da Canção" (em inglês: First Lady of Song) e "Lady Ella", foi uma popular cantora de jazz americana.
Morreu aos 79 anos de idade.
SINOPSE ARTÍSTICO
Com uma extensão vocal que abrangia três oitavas, era notória pela pureza de sua tonalidade, sua dicção, fraseado e entonação impecáveis, bem como uma habilidade de improviso "semelhante a um instrumento de sopro", particularmente no scat.
Considerada uma das intérpretes supremas do chamado Great American Songbook, teve uma carreira que durou 59 anos, venceu 14 prêmios Grammy e recebeu a Medalha Nacional das Artes do presidente americano Ronald Reagan, bem como a Medalha Presidencial da Liberdade, do sucessor de Reagan, George H. W. Bush.
BIOGRAFIA
Nasceu em Newport News, Virgínia, filha William e Temperance "Tempie" Fitzgerald. O casal se separou pouco tempo depois do nascimento da filha, e sua mãe a levou para Yonkers, Nova York, com seu namorado, Joseph Da Silva. A meia-irmã de Ella, Frances Da Silva, nasceu em 1923.
Durante sua juventude Ella queria ser uma dançarina, embora gostasse de ouvir as gravações de jazz de Louis Armstrong, Bing Crosby e The Boswell Sisters. Idolatrava a cantora Connee Boswell, dizendo mais tarde: "Minha mãe trouxe para casa um de seus discos, e me apaixonei por ele....Tentei tanto soar exatamente como ela."
Em 1932 sua mãe morreu, vítima de um infarte. O trauma provocou uma queda brutal no desempenho escolar da garota, que deixou de frequentar as aulas. A um certo ponto chegou a trabalhar como vigia num bordel, e numa casa de apostas do jogo de números (numbers game) filiada à máfia. Após se envolver em problemas com a polícia, acabou sendo presa e enviada a um reformatório, de onde eventualmente fugiu, passando a viver na rua, até ser internada no Asilo de Órfãos de Cor em Riverdale, no Bronx, Nova York.
Fez sua estreia como cantora aos 17 anos, em 21 de novembro de 1934, no Teatro Apollo, no Harlem. Gradualmente conquistou um público semanal no Apollo, e a oportunidade de competir numa das primeiras "Amateur Nights" do teatro. Originalmente pretendia dançar, porém, intimidada pelas Edward Sisters, uma dupla local de dançarinas, optou por cantar no estilo de Connee Boswell. Interpretou "Judy", de Boswell, e "The Object of My Affection", das Boswell Sisters, e conquistou o prêmio principal, de 25 dólares.
VIDA PESSOAL
Ella Fitzgerald se casou pelo menos duas vezes, e existem evidências de que teria se casado uma terceira vez. Em 1941 casou-se com Benny Kornegay, um traficante de drogas condenado. O casamento foi anulado após dois anos.
Seu segundo casamento, em dezembro de 1947, foi com o famoso contrabaixista Ray Brown, que ela havia conhecido durante a turnê com a banda de Dizzy Gillespie, um ano antes. Juntos eles adotaram um filho de Frances, meia-irmã de Ella, que eles batizaram de Ray Brown, Jr. Com Fitzgerald e Brown quase sempre envolvidos com turnês e gravações, a criança acabou sendo criada por sua tia, Virginia. Fitzgerald e Brown se divorciaram em 1953, devido às diversas pressões pelas quais as carreiras artísticas de ambos passavam no período - embora tenham continuado a se apresentar juntos.
Em julho de 1957, a agência de notícias Reuters informou que Fitzgerald teria se casado em segredo com Thor Einar Larsen, um jovem norueguês, em Oslo. Ella teria até mesmo comprado e decorado um apartamento na cidade, porém o caso foi rapidamente esquecido quando Larsen foi condenado a cinco meses de trabalhos forçados na Suécia por ter roubado dinheiro de uma jovem com a qual ele teria estado envolvido anteriormente.
MORTE
Já afetada pelos problemas de visão causados pela diabete, Ella Fitzgerald teve suas duas pernas amputadas em 1993. Morreu em 1996, em Beverly Hills, Califórnia, aos 79 anos de idade.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: