“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

31 de ago de 2011

BALDUR von SCHIRACH - Arte Tumular - 603 - Kröv Cemetery ,Krov,Rheinland-Pfalz, Germany




Sepultamento em 1974

Lápide substituindo a anterior
ARTE TUMULAR
Inicialmente, na época do sepultamento em 1974 foi colocada como lapide uma cruz de madeira com um pequeno Cristo crucificado. Mais adiante foi substituído por uma lápide de granito natural  bruto de formato irregular com o seu nome e datas gravados com destaque em azul.

Local: Kröv Cemetery ,Krov,Rheinland-Pfalz, Germany
Fotos: Geoff Walden, Werner Farwick e oso blindado
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Baldur Benedikt von Schirach (9 de maio de 1907, Berlin - 8 de agosto de 1974, Kröv, Alemanha) foi um oficial nazista, comandante da Hitlerjugend (Juventude Hitlerista) e Gauleiter de Viena. Foi um dos réus dos julgamentos de Nuremberg sob a acusação de crimes contra a humanidade.
Morreu aos 67 anos de idade
BIOGRAFIA
Schirach nasceu em Weimar, filho do diretor de teatro Carl Benno von Schirach e sua esposa norte americana Emma Middleton Lynah Tillou, pela qual Schirach afirmava ser descendente de dois signatários da Declaração da Independência Americana. O inglês foi de fato a primeira língua que ele aprendeu, e começaria a falar alemão somente aos cinco anos de idade. Ele tinha duas irmãs, Viktoria e Rosalind von Schirach, e um irmão, Karl Benedict von Schirach, que cometeu suicídio aos dezenove anos, em 1919.
Em 31 de março de 1932, von Schirach casou-se com Henriette Hoffmann, filha de Heinrich Hoffmann, que era o fotógrafo oficial e amigo de Hitler.
CARREIRA POLÍTICA
Schirach entrou para a Wehrjugendgruppe aos 10 de idade e filiou-se ao NSDAP em 1925. Ele logo foi transferido para Munique e em 1929 tornou-se líder do Nationalsozialistischer Deutscher Studentenbund (NSDStB, União Estudantil Nacional-Socialista). Em 1931 foi nomeado Reichsjugendführer (Líder da Juventude) no NSDAP e em 1933 tornou-se o comandante da Hitlerjugend, recebendo o posto de Gruppenführer na SA.
Em 1940 ele organizou a evacuação de cinco milhões de crianças das cidades ameaçadas pelos bombardeios dos aliados. No ano seguinte Schirach uniu-se ao exército e serviu na França, onde foi condecorado com a Cruz de Ferro. Schirach perdeu o controle da Juventude Hitlerista para Artur Axmann e foi nomeado governador de Viena, período durante o qual ele teria sido o responsável pela deportação dos judeus de Viena para os campos de concentração na Polônia.
JULGAMENTO
Schirach rendeu-se em 1945, e foi um dos oficiais julgados pelo tribunal de Nuremberg, e um dos dois únicos homens que denunciaram Hitler (o outro foi Albert Speer). Ele disse não ter conhecimento sobre os campos de extermínio e também apresentou evidências de que tinha protestado a Martin Bormann sobre o tratamento desumano recebido pelos judeus. Ele foi declarado culpado em 1 de outubro de 1946 por crimes contra a humanidade e sentenciado a vinte anos de prisão em Spandau.
Em 20 de julho de 1949 Henriette divorcia-se enquanto ele ainda estava na prisão.
Schirach cumpriu a pena integralmente e foi solto em 30 de setembro de 1966 e passou a viver no sul da Alemanha, onde se aposentou. Publicou suas memórias, Ich glaubte an Hitler ("Eu acreditei em Hitler"), em 1967
MORTE
Morreu em Kröv, na região do Mosela.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: