“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

30 de jan de 2010

JOSEPHINE BONAPARTE - Arte Tumular - 346 - Church of Saint Pierre & Saint Paul ,Rueil, France






Túmulo

Ingreja S.Pedro e S.Paulo
ARTE TUMULAR
No transcepto central direito da igreja , como se fosse um altar, ergue-se o majestoso tumulo de Josphine. Uma base tumular retangular em mármore facetado nas laterais, com o seu nome gravado, suporta duas colunas encimadas por um arco. Na parte central, esculpido em relevo, representa a imperatriz ajoelhada num genuflexório com as mãos unidas em oração.
LOCAL: Church of Saint Pierre e Saint Paul ,Rueil, France
Fotos: Jon Hinkle
Descrição tumular:HRubiales
PERSONAGEM
Joséphine de Beauharnais (Les Trois-Îlets,Martinica, 23 de junho de 1763 - Rueil-Malmaison ,29 Maio 1814) foi a primeira esposa de Napoleão Bonaparte, e assim a primeira imperatriz francesa.
Morreu aos 50 anos de vida.

BIOGRAFIA
Josèphe Tascher Rose Marie de la Pagerie nasceu em Les Trois-Îlets,Martinica de uma família crioula branca e rica que possuía um engenho de açúcar. Ela era filha de Joseph-Gaspard Tascher (1735-1790), Chevalier, Seigneur de la Pagerie, tenente detrupes de marinha, e sua esposa, a ex-Claire Rose des Vergers de Sannois (1736-1807), cujo avô materno , Anthony Brown, era irlandês.
Sua família teve dificuldades financeiras após a passagem de um furacão que detruii a propriedade em 1766..Edmée, tia de Josefina, tinha sido amante de François, Visconde de Beauharnais, um aristocrata francês. Quando o visconde começou a ter problemas de saúde, Edmée arranjou um casamento vantajoso para a sua sobrinha Catherine-Désirée, com Alexandre, filho de François. Este casamento seria altamente benéfico para a família Tascher,pois ficariam de posse do dinheiro de Beauharnais, no entanto, Catherine de doze anos de idade morreu em 16 de Outubro de 1777, antes de partir para da Martinica para a França. Desse modo, Edmeé, provicenciou que Catherine fosse substituída pela irmã mais velha, Josephine.
Em outubro de 1779, Joséphine foi para a França com o pai. Ela se casou com Alexandre em 13 de Dezembro de 1779, em Noisy-le-Grand. Embora o casamento não tenha sido feliz, eles tiveram dois filhos: um filho, Eugênio de Beauharnais (1781-1824), e uma filha Hortênsia de Beauharnais (1783-1837), que se casou com o irmão de Napoleão Louis Bonaparte em 1802.
Em 2 de Março de 1794, durante o reinado do terror, o Comité de Salut público ordenou a prisão de seu marido. Ele foi encarcerado na prisão de Carmes em Paris. Joséphine acusada de estar envolvida com o marido, a Comissão ordenou a sua prisão em 19 de abril de 1794. Um mandato de prisão foi emitido contra ela em 2 Floréal, ano II (21 de abril de 1794), e ela foi encarcerado na prisão de Carmes até 10 Thermidor, ano II (28 de julho de 1794). Seu marido foi condenado à morte na guilhotina e executado em 23 de Julho de 1794, na Place de la Révolution ( atual Place de la Concorde ), em Paris.
Joséphine foi libertada cinco dias depois, graças à queda e execução de Robespierre, acababando o reinado do terrorEm junho de 1795, uma nova lei que lhe permitiu recuperar os bens de Alexandre.
CASAMENTO COM NAPOLEÃO
Joséphine de Beauharnais, agora viúva, se tornou amante de vários líderes políticos, incluindo Paul François Jean Nicolas Barras. Em 1795, ela conheceu o General Napoleão Bonaparte, seis anos mais novo que ela, e se tornou sua amante. Em uma carta para ela em dezembro, ele escreveu: " Sua imagem e a memória dos prazeres inebriantes da noite passada não deixou resto de meus sentidos."
Joséphine era descrita como sendo de estatura média, esbelta, corpo bem feito, cabelo castanho escuro sedosos, olhos castanhos, e uma aparência um pouco pálida. Seu nariz é pequeno e reto, e boca bem feita, mas ela mantinha a boca fechada a maior parte do tempo, de modo a não revelar os dentes ruins que possuia. Ela foi elogiada por sua elegância, estilo e e voz harmoniosamente modulada.
Em janeiro de 1796, Napoleão Bonaparte propôs o casamento, que se realizou 9 de março. Até antes do casamento, ela era conhecida como Rose, mas Bonaparte preferiu chamá-la de Joséphine, ela adotou o nome a partir de então. Dois dias depois do casamento, Bonaparte foi liderar o exército francês na Itália, e durante a sua separação, mandou muitas cartas de amor. Em fevereiro de 1797, ele escreveu: "É para quem a natureza deu espírito, doçura e beleza, é o único que pode se mover e governar o meu coração, você que sabe muito bem o império absoluto que exerce sobre ele!"
Entretanto, Josephine deixou para trás os princípios de uma imperatriz, e começou um caso em 1796 com um tenente chamado Hippolyte Charles.
Durante a campanha egípcia de 1798, Napoleão Bonaparte começou um romance com Pauline Bellisle Foures, a esposa de um oficial subalterno . A relação entre Josephine e Napoleão nunca mais foi a mesma.
A IMPERATRIZ
Pouco antes de sua coroação, houve um incidente no Château de Saint-Cloud que quase acabou com o casamento entre os dois. Joséphine pegou Napoléon no quarto de sua dama-de-companhia, Elisabeth de Vaudey, Napoleão ameaçava divorciar-se dela caso não lhe desse um herdeiro. Isto era impossível para Josephine, que havia se tornado esteril.
A cerimônia de coroação, oficiada pelo Papa Pius VII, teve lugar na Catedral de Notre Dame, em 2 de Dezembro de 1804. Na sequência de um protocolo pré-estabelecido, Napoleão coroou-se primeiro, em seguida, colocou a coroa na cabeça Joséphine, proclamando-a imperatriz.
Quando, depois de alguns anos, tornou-se claro que ela não poderia ter um filho, Joséphine concordou com um divórcio para que o imperador pudesse casar de novo, na esperança de ter um herdeiro. O divórcio ocorreu em 10 de janeiro de 1810. Em 11 de Março, Napoleão casou-se com Marie-Louise da Áustria por procuração, a cerimônia oficial aconteceu no Louvre, em 1 de Abril. Napoleão comentou certa vez, após casar-se com Marie-Louise que "ele tinha casado com um útero."
Após o divórcio, Joséphine viveu no Castelo de Malmaison, perto de Paris. Ela manteve-se em bons termos com Napoleão, que disse certa vez que a única coisa a se colocar entre eles era suas dívidas.
MORTE
Joséphine morreu de pneumonia em Rueil-Malmaison, quatro dias depois de apanhar frio durante um passeio com o Czar Alexander nos jardins de Malmaison. Ela foi enterrada na igreja próxima de Saint-Pierre-Saint Paul, em Rueil. Hortense Sua filha está enterrada perto dela.
Napoleão, no exílio em Santa Helena dizia a um amigo, que "realmente amava Joséphine, mas que ela não o havia respeitado”. Apesar de seus numerosos romances, eventual divórcio e novo casamento, as últimas palavras do Imperador, em São Helena foram "a França, o Exército, o Chefe do Exército, Joséphine".
DESCENDENTES
>Hortência gerou um filho que se tornou Napoleão III, Imperador da França. (avó materna)
>Sua neta, filha de Eugène, casada com o rei Oscar I da Suécia, (bisavó de reis e rainhas)
> Josephine é um ancestral direto dos chefes presentes das casas reais da Bélgica, Dinamarca, Grécia, Luxemburgo, Noruega e Suécia.
Fonte:
en.wikipedia.org
Formataçã, pesquisa e tradução:HRubiales

Nenhum comentário: