“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

16 de nov de 2009

FULGENCIO BATISTA - Arte Tumular - 310 - Cementerio Sacramental de San Isidro ,Comunidade de Madrid, Espanha




ARTE TUMULAR
Base tumular em granito, com dois tampos, também em granito, separados por uma jardineira com folhhagens. Sobre o tampo esquerdo estão as inscrições e datas do ditador. Na cabeceira tumular, como lápide retangular com uma cruz em relevo e com um Cristo em bronze crucificado.
LOCAL: Cementerio Sacramental de S.Isidro, Comunidad de Madri, España
Fotos: (findgrave)
Descrição tumular:HRubiales
PERSONAGEM
Fulgencio Batista y Zaldívar (Banes, 16 de janeiro de 1901 — Marbella, 6 de agosto de1973) foi quem ostentou o poder de fato em Cuba de 1933 a 1940 e o presidente oficial do país de 1940 a 1944 e novamente de 1952 a 1959, como ditador.
BIOGRAFIA
Em 1933, um golpe militar encabeçado pelo sargento estenógrafo Fulgêncio Batista derrubou a ditadura de Gerardo Machado. Fulgêncio Batista era mulato e pela primeira vez na história cubana os afro-descendentes chegavam ao poder. Ao se tornar chefe do exército, Batista dominou a situação usando uma orientação (segundo alguns) socialista, portanto oposta às ingerências norte-americanas.
No primeiro período de seu governo entre 1933 e 1944, exerceu um governo forte. Batista consolidou o seu poder concentrando em si todas as nomeações para os cargos públicos. Durante o primeiro mandato de Batista, Cuba cooperou na Segunda Guerra Mundial com os aliados e declarou guerra ao Japão, Alemanha e Itália.
Batista foi eleito em 1940 presidente da República. Promulgou a Constituição Liberal, e em 1952 conduziu novo golpe de Estado apoiado por diversos partidos políticos dentre os quais o Partido Socialista Popular (Partido Comunista Cubano). Instaurou um regime autoritário, mandando prender os seus opositores e restringindo as liberdades através do controle da imprensa, da universidade e do congresso, usando métodos terroristas e fazendo fortuna para si e para seus aliados
Após o golpe de Batista, Cuba progrediu economicamente, porém sua economia ainda era fraca e tinha forte desequilíbrio na distribuição de renda. A ilha, mesmo sendo a maior economia do Caribe, em 1958 era apenas a oitava economia entre os 20 maiores países latino-americanos relativamente ao PIB e um dos mais pobres do caribe, considerando o PIB per capita. Além disto, havia também um grande desequilíbrio entre a área rural e urbana.
A área urbana possuía forte infra-estrutura e o capital proveniente do submundo ítalo-americano (dos Estados Unidos) financiava grande parte da economia. Em 1958, havia um total de 500 prostitutas em Havana, sendo a indústria da prostituição a mais rentável da ilha.
A prostituição, a corrupção e negociatas caracterizaram a era Batista, e, pouco a pouco, a classe média afastou-se do regime.
APOIO DOS ESTADOS UNIDOS
O apoio do governo dos Estados Unidos ao autoritário governo ditatorial de Fulgencio Batista, por sete anos (1952-59), foi um dos episódios emblemáticos da Guerra Fria com seus ingrediente clássicos: um governante tirânico, corrupto e repressor sendo apoiado pelos Estados Unidos graças à suas posições favoráveis aos negócios americanos na ilha. Earl E. T. Smith, embaixador americano em Cuba nos dois anos que precederam a queda de Batista entusiasticamente deu-lhe seu apoio
Foi deposto por Fidel Castro em 1959 obteve exílio permanente na Ilha da Madeira e no Estoril em Portugal e depois na Espanha.
MORTE
Morreu em Guadalmina, Marbella, Espanha.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação e pesquisa: HRubiales

Nenhum comentário: