“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

7 de out de 2009

FARRAH FAWCETT - Arte Tumular - 292 - Westwood Memorial Park , Los Angeles,Los Angeles County,California, USA














ARTE TUMULAR
Espaçoso gramado abriga o tumulo da atriz. Na base tumular uma lápide em granito de formato quadrado e as lateriais irregulares, com o seu nome gravado com letras douradas. Ladeando o espaço, dois bancos de formato simples e linhas retas, um de cada lado, representando que o morto foi muito amado e deixou muitos admiradores que a contemplarão e nunca ficará só.
LOCAL: Westwood Memorial Park , Los Angeles,Los Angeles County,California, USA
Coordenadas GPS: clique e visite o túmulo 34° 3'30.18"N, 118°26'28.04"W]
Fotos: Robert Edwards, Mark Masek e Gerald N. Davis
Descrição tumular:Helio Rubiales
PERSONAGEM
Mary Ferrah Leni Fawcett (Corpus Christi, 2 de fevereiro de 1947 — Santa Mônica, 25 de junho de 2009) foi uma atriz e modelo norte-americana.
Morreu aos 62 anos de idade.
BIOGRAFIA
É considerada um dos maiores símbolos sexuais femininos da década de 1970 e uma das mulheres mais bonitas de todos os tempos.
Várias vezes indicada aos prêmios Emmy e Golden Globe, ganhou fama internacional ao interpretar a detetive particular Jill Munroe na série de TV As Panteras.
Mais tarde, ganhou a aprovação da crítica em peças off-Broadway e vários papéis desafiadores em aclamados telefilmes e minisséries (Cama Ardente, Nazi Hunter: The Beate Klarsfeld Story), Pobre Menina Rica, Margaret Bourke-White e até em papéis antipáticos (Small Sacrifices).
Ela também foi um ícone da cultura pop, cujo penteado foi copiado por milhões de mulheres e cujo pôster quebrou recordes de venda, tornando-a um símbolo sexual dos anos 1970 a 1980, com maior impacto sobre a geração adolescente da época e até depois.
CARREIRA E VIDA PESSOAL
Nascida no Texas em 2 de fevereiro de 1947, estudou microbiologia na Universidade do Texas, mas sempre quis ser atriz. Estreou na televisão em 1965 na série Jeannie é um Gênio. Nos anos seguintes, participou de The Flying Nun (1967) e The Partridge Family (1970). O grande sucesso de Farrah Fawcett, que a tornou mundialmente famosa, veio após ser convidada pelo produtor Aaron Spelling para atuar ao lado de Kate Jackson e Jaclyn Smith integrando, em 1976, o primeiro elenco da série de televisão Charlie's Angels (As Panteras, no Brasil e Os Anjos de Charlie, em Portugal), no papel da detetive loura Jill Munroe.
Apesar de ser tratada como a estrela do seriado, abandonou-o ao final da temporada, o que lhe custou uma ação judicial movida pelos produtores por quebra de contrato. Para evitar pagar uma indenização milionária, Fawcett aceitou um acordo no qual deveria aparecer em três episódios anuais por duas temporadas (terceira e quarta) seguintes da série. Fawcett, após deixar a série, começou a trabalhar no cinema, no filme "Somebody Killed Her Husband".
O pôster que lançou, pouco antes da estréia do seriado, no qual aparece em um maiô vermelho, vendeu oito milhões de cópias nos primeiros meses.
Em 2 de dezembro de 1995, Farrah Fawcett posou para a revista Playboy e permanece até hoje como o segundo recorde de vendas, com 1 351 100 exemplares.
Farrah Fawcett foi casada com Lee Majors (da série "O Homem Biônico"). Nessa altura adotava o nome de Farrah Fawcett-Majors.
Depois de se separar de Lee Majors, Farrah teve um romance com o ator Ryan O'Neal que durou 17 anos e com quem teve um filho. Esse caso fez com que Ryan tivesse um sério atrito com sua filha atriz Tatum O'Neal, que não aceitou essa relação.
A atriz lutava contra um câncer anal desde Setembro de 2006. Em Outubro do mesmo ano, Farrah se submeteu a uma cirurgia para retirar um tumor do intestino grosso e fez sessões de quimioterapia e radioterapia durante seis semanas. Quatro meses depois, a atriz recebeu um diagnóstico de que estava curada e recebeu alta no final de 2007, quando anunciou, eufórica, ter vencido a doença. No entanto, tempos depois, ela anunciou que o tumor havia voltado.
Em recente entrevista concedida à revista "People", Ryan O'Neal contou que a atriz passava seus dias confinada em casa, a maior parte do tempo na cama, por causa dos efeitos do tratamento contra o câncer.
Fawcett perdeu o cabelo, estava muito debilitada e só recebia a visita de algumas amigas íntimas, como Jaclyn Smith e Kate Jackson, que foram suas companheiras na popular série de televisão "As Panteras".
O único filho do casal, Redmond, 23, esteve preso devido a problemas com a droga e encontra-se em reabilitação.
"Ele disse-lhe o quanto a amava e pediu que ela o perdoasse porque ele lamentava muito", contou ainda O'Neal.
"Farrah tinha coragem, tinha força e tinha fé. E agora ela descansa em paz com os verdadeiros anjos", disse actriz Jaclyn Smith, que participou da série Charlie's Angels junto com Fawcett, numa referência ao nome da série em inglês, Charlie's Angels.
"Estou muito triste com a morte de Farrah. Ela era incrivelmente corajosa e será recebida de braços abertos por Deus," afirmou Cheryl Ladd, que também participou da série.
"Apesar da dor insuportável e da incerteza, jamais me ocorreu deixar de lutar, nunca," declarou então a atriz, que deixou a sua batalha gravada num documentário que teve a primeira metade transmitida no mês passado, nos Estados Unidos; a sua morte ocorreu semanas depois da exibição do documentário na televisão. O diário em vídeo mostrava a batalha da atriz contra o câncer no intestino nos últimos meses.
Depois procurou tratamentos alternativos na Alemanha, enquanto seu filho atravessava momentos difíceis por causa do envolvimento com as drogas, que o fez ser preso junto ao pai.
A agonia da atriz nas últimas horas de batalha contra o cancêr foi anunciada pela jornalista Barbara Walters do canal ABC, que chegou a declarar, em seu programa matutino desta quinta-feira: "Não estou certa se ela vai conseguir passar desse dia. Ela já recebeu a extrema-unção."
Também foi numa entrevista a Waters que Ryan O'Neal disse que queria casar com Farrah Fawcett.
Ele afirmou ainda que ela queria contar sua história do jeito dela. O ator estava com Fawcett desde 1982, com algumas interrupções no relacionamento. Apesar de revelar que eles iriam finalmente casar-se, os dois não tiveram tempo de oficializar o relacionamento. "Pedi que casasse comigo, outra vez, e ela aceitou," contou O'Neal muito emocionado.
Mas, nesse mesmo dia, o website da revista "People" informou que Fawcett havia sido internada de novo.
MORTE
Farrah Fawcett morreu no dia 25 de Junho de 2009 às 9h30min (horário da Califórnia), no Hospital Saint John em Santa Mônica informou Arnold Robinson, seu agente, num comunicado.Curiosamente Farrah Fawcett faleceu no mesmo dia em que o rei do pop Michael Jackson, fazendo com que a notícia de sua morte fosse ofuscada na grande maioria dos jornais do mundo.
Fonte: Wikipédia
Formatação e pesquisa:HRubiales

Nenhum comentário: