“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

13 de ago de 2009

SÃO CARLOS BORROMEU - Arte Tumular - 258 - Catedral de Milão, Milão, Lombardia, Itália



Cripta

Foto do corpo incorrupto

Idenficação da cripta
ARTE TUMULAR
O interior da cripta é sobriamente decorado com quatro esculturas sacras no alto de pilares em mármore, geometricamente separadas umas da outra. No centro ergue-se sobre duas bases de mármore,formando dois degraus um altar ricamente decorado e logo atrás outra construção em mármore escuro suporta o ataúde com armação em prata e vidro, divididos em cinco quadrantes frontais decorados em forma hexagonais. Na arte superior do ataúde outros cinco quadrantes inclinados com decorações ovais, forma a parte superior do ataúde. Dentro encontra-se o corpo “incorrupto” do santo.
HISTÓRIA DO CORPO INCORRUPTO
Desde a sua morte em 1584, durante 20 anos e 4 meses, o corpo de S.Carlos Borromeu ficou num ataúde de chumbo e outro de madeira, enterrado num túmulo muito úmido, sob o pavimento da nave central da Catedral. Essa umidade natural havia sido aumentada com um fosso cheio de água, para evitar que o povo entrasse na cripta, dada a extraordinária riqueza em jóias, ouro e prata que pendiam nas paredes colocados pelos números fieis em agradecimento e veneração.
No dia 6 de março de 1605, durante o processo de beatificação, no exame e identificação do corpo, feito por dois bispos delegados de Roma, verificaram que a umidade havia atacado os ataúdes e deveria ser restaurado. Quando abriram o ataúde encontraram o corpo incorrupto, isto é, estava preservado. Foi retirado e limpo e deixado durante um ano numa sala anexa à sacristia. Enquanto isso, o túmulo origina foi transformado por Richino numa extraordinária capela com detalhes artísticos. O corpo incorrupto foi colocado no atual sarcófago de prata ofertado pelo Rei Felipe IV da Espanha.
LOCAL: Cathedral of Milan ,Milan, Lombardia, Italy
Foto: Bunny Boler e Mademoisele
Descrição tumular: Helio Rubiales
Fonte: Oscar G. Quevedo
PERSONAGEM
São Carlos Borromeu (Arona, 2 de outubro de 1538 — Milão, 3 de novembro de 1584) foi um cardeal italiano, primeiro bispo a fundar seminários para a formação dos futuros padres; promoveu sínodos diocesanos; abundou os escritos catequéticos e conhecimento da doutrina católica.
Morreu aos 46 anos de idade.
BIOGRAFIA
Chamado a Roma pelo tio Papa, São Carlos mesmo antes de receber os Sacramentos da Ordem, aceitou a nomeação e responsabilidades de cardeal e arcebispo de Milão.
Era sobrinho do Papa Pio IV. Carlos recebeu ótima formação humana e cristã, de forma que estudou na Universidade de Pavia e destacou-se pela facilidade de administrar e tratar as pessoas. Chamado a Roma pelo tio Papa, São Carlos mesmo antes de receber os Sacramentos da Ordem, aceitou a nomeação e responsabilidades de Cardeal e Arcebispo de Milão, num tempo em que a Igreja abria-se para sua renovação interna.
Bispo que tornou-se para a Igreja um modelo de pastor e caridade, já que se consumiu por inteiro pela guarda e salvação das almas. São Carlos, logo após ter auxiliado o Papa e tê-lo motivado para colocar em prática todo o inspirado conteúdo do Concílio de Trento (1545-1563), assumiu com todo o ardor a missão de obedecer as decisões do Concílio, o qual respondia as necessidades da Igreja daquela época, e também levar a todos os fiéis da diocese de Milão para o Cristo.
Determinado e foi o primeiro bispo a fundar seminários para a formação dos futuros padres; promoveu sínodos diocesanos; abundou os escritos catequéticos e conhecimento da doutrina católica; impulsionou a boa empresa e assistiu com seu zelo e apostolado santo toda a sua região além de ajudar na Evangelização de outras áreas da Europa, desta maneira deu sua vida a Deus gastando-se totalmente pelo bem dos outros e da Igreja.
De uma nobre família italiana, foi feito cardeal e arcebispo de Milão por seu tio, o Papa Pio IV. Sentindo-se atraído pela vida contemplativa, pensou em renunciar à arquidiocese. Mas seu amigo o Venerável Dom Frei Bartolomeu dos Mártires, arcebispo de Braga, o dissuadiu dessa idéia, convencendo-o de que, naquele século em que o alto Clero tantas vezes dava mau exemplo, seria melhor que ele, altamente colocado na escala social e ademais sobrinho de um Papa, desse o bom exemplo de vida santa como arcebispo. Foi o que fez São Carlos Borromeu, modelo perfeito de pastor de almas zeloso, que aplicou em Milão as reformas ordenadas pelo Concílio de Trento.
Bento XVI a ele referindo-se afirmou: Sua figura destaca-se no século XVI como modelo de pastor exemplar pela caridade, doutrina, zelo apostólico e sobretudo, pela oração.
Dedicou-se por completo à Igreja ambrosiana: a visitou três vezes; convocou seis sínodos provinciais e onze diocesanos; fundou seminários para formar uma nova geração de sacerdotes; construiu hospitais e destinou as riquezas de família ao serviço dos pobres; defendeu os direitos da Igreja contra os poderosos; renovou a vida religiosa e instituiu uma nova Congregação de sacerdotes seculares, os Oblatos. (...) Seu lema consistia em uma só palavra: "Humilitas". A humildade o impulsionou, como o Senhor Jesus, a renunciar a si mesmo para fazer-se servo de todos".
Em 1559 São Carlos foi ferido por um assassino de nome Jerome Donati Farima, um dos maiores inimigos das rigorosas reformas que Carlos implantou. No ano seguinte uma severa seca e fome e assolou a região e ele conseguiu com a ajuda de amigos em Milão alimentar 3.000 homens, mulheres e crianças por três meses. Em 1576 a praga assolou Milão e ele foi para a rua e pessoalmente cuidava das vitimas (os membros do governo oficial fugiram da cidade). Por quase um ano Carlos cuidou dos doentes e teve uma visão que a praga iria terminar, como realmente terminou.
Em 1580 ele ajudou os padres ingleses a votar as ilhas britânicas e em 1583 serviu com Núncio Apostólico na Suíça.
Ele é patrono dos Borromeos, uma Congregação de enfermeiros/ras na Dioceses de Lugano e Basel e ainda da Sociedade Borromeo, de várias livrarias públicas, seminários, escolas , e é o patrono oficial da Universidade de Salzburg.
Ele é invocado contra as pragas. Na arte litúrgica da Igreja ele é representado como um cardeal.
MORTE
Ele morreu na noite de 3 para 4 de novembro de 1584 em Milão. Foi canonizado em 1610.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação e pesquisa: Helio Rubiales

Nenhum comentário: