“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

21 de abr de 2009

AGUSTIN LARA - Arte Tumular - 207-Panteon Civil de Dólores,Distrito Federal, Mexico









Entrada do Cemitério
ARTE TUMULAR
Complexo escultórico composto por diversas bases tumular em granito negro dispostas em diferentes ângulos. Na parte central uma base reta estão as inscrições do artista. Sobre uma base quadrada, sobressai uma escultura em bronze do busto do cantor, coberto por duas mãos aconchegando um corpo feminino.
LOCAL: Panteon Civil de Dólores ,Distrito Federal, Mexico
Plot: Rotonda de los Hombres Ilustres
Fotos: www.tiwi.com e Gabriel Tabon
Descrição tumular:Helio Rubiales
PERSONAGEM
AGUSTIN LARA : Ángel Agustín María Carlos Fausto Mariano Alfonso Rojas Canela del Sagrado Corazón de Jesús Lara y Aguirre del Pino (Tlacotalpan, 30 de outubro de 1900 – Cidade do México, 6 de novembro de1970), mais conhecido como Agustín Lara, foi um compositor e cantor mexicano.
Compôs mais de 700 canções, na maioria boleros.
Morreu aos 70 anos de idade.
Biografia
Ainda criança, mudou-se com a família para a capital do país. Depois da morte de sua mãe, Agustín e seus irmãos viveram em um hospício administrado por sua irmã mais velha, chamado Refúgio Aguirre del Pino, onde teve seu primeiro contato com a música.
A primeira composição de Agustín foi "Marucha”, em homenagem ao seu primeiro amor. Em 1927 ele já estava trabalhando em cabarés. Em 1929. começou a trabalhar com o tenor Juán Arvizu, como compositor e acompanhante. Em setembro de 1930, iniciou uma bem-sucedida carreira no rádio. Ao mesmo tempo, atuava e compunha músicas para filmes, como Santa (1931).
Sua primeira turnê em Cuba não obteve sucesso, devido a agitações políticas naquela ilha. Depois, viajou pela América do Sul, sempre compondo — “Solamente una vez” (feita em Buenos Aires e dedicada a José Mujica), “Veracruz”, “Tropicana” e “Pecadora” torná-lo-iam ainda mais famoso.
Lara também foi conhecido por suas conquistas amorosas, entre elas Maria Félix, sua futura esposa e a quem dedicou algumas canções, como “Maria Bonita”, “Aquel Amor” e “Noche de Ronda”.
No início da década de 1940, Agustín tornou-se famoso na Espanha. Em 1965, o ditador Francisco Francolhe deu uma linda casa em Granada, por causa das composições com temas espanhóis, como “Toledo”, “Granada”, “Seville” e “Madrid”. Agustín recebeu ainda várias outras honras e condecorações por todo o mundo.
MORTE
Em 1968 a saúde de Agustín começou a enfraquecer rapidamente; um acidente, no qual fraturou a pélvis, contribuiu para agravar ainda mais seu estado. Morreu em 1970 e foi enterrado na Rotonda de los Hombres Ilustres do Panteón de Dolores, na cidade do México.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação e pesquisa:HRubiales

Nenhum comentário: