“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

12 de jan de 2016

LOUIS XIV - França - Arte Tumular - 1037 - Saint Denis Basilique Saint-Denis Departement de Seine-Saint-Denis Île-de-France, France




Luís XIV de França
Casa de Bourbon
Ramo da Casa de Capeto
5 de setembro de 1638 – 1º de setembro de 1715
Precedido por
Luís XIII
Grand Royal Coat of Arms of France & Navarre.svg
Rei da França e Navarra
14 de maio de 1643 – 1º de setembro de 1715
Sucedido por
Luís XV
Coat of Arms of the Dauphin of France.svg
Delfim da França
5 de setembro de 1638 – 14 de maio de 1643
Sucedido por
Luís





Basílica Saint Denis

ARTE TUMULAR
No interior da Basílica de Saint Denis, localizado em um dos lados, ergue-se o complexo tumular do Rei. Na base tumular encostado na parede, numa construção em mármore em formato de sarcófago aloja os restos mortais do soberano. decorado com placas de bronze com motivos de seu reinado. Acima, nas laterais erguem -se duas colunas em mármore escuro, sustentando detalhes em formato de cúpula representando um portal, encimado por uma escultura,também em mármore de uma figura feminina representando a nobreza. Logo abaixo destaca-se um relevo oval com a efigie de Luiz XIV,ladeado por esculturas de figuras femininas. Logo abaixo, uma placa de bronze com o seu nome e datas. 

Local: Saint Denis Basilique Saint-Denis Departement de Seine-Saint-Denis Île-de-France, France
Foto: Phillippe Landru
Descrição tumular: Helio Rubiales



PERSONAGEM
Luís XIV (Saint-Germain-en-Laye, 5 de setembro de 1638 – Versalhes, 1 de setembro de 1715), também conhecido como Luís, o Grande ou O Rei Sol, foi o Rei da França e Navarra de 1643 até sua morte. Seu reinado de 72 anos e 110 dias é o mais longo da história europeia e o segundo maior da história.
Morreu aos 76 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
A ele é atribuída a famosa frase: "L'État c'est moi" (em português: O Estado sou eu), apesar de grande parte dos historiadores dizerem que isso é apenas um mito ou lenda .

Credita-se a ele também a frase "Eu quase que esperei'". Dizia isso, mesmo com todas as suas carruagens chegando à hora marcada, o que demonstra bem o carácter absolutista e a visão que ele tinha de si mesmo. Organizou a etiqueta da vida cortesã em um modelo que os seus descendentes seguiram à risca.

Outro traço marcante para a cultura da época e que é parcamente citado em biografias sobre o Rei-Sol é o fato de ele ter lançado a moda do uso de elaboradas perucas, costume que se prolongou por no mínimo 150 anos nas cortes europeias e nas colônias do novo mundo.

Construiu o Palácio dos Inválidos e o luxuoso Palácio de Versalhes, perto de Paris, onde faleceu em 1715.

 Nasceu em 1638, tendo como seus pais Luís XIII e Ana de Áustria, que já estavam casados há vinte e três anos. Por isso alguns historiadores acreditam que ele não era filho biológico de Luís XIII. Foi batizado Louis-Dieudonné ("Luís, o presente de Deus") e recebeu além do tradicional título de Delfim o de Premier Fils de France ("Primogênito da França"). Luís XIII e Ana da Áustria tiveram um segundo filho, Filipe I, Duque de Orleães. O rei não confiava em sua mulher e procurou evitar que ela ganhasse influência sobre o país. Porém, após sua morte em 1643, Ana tornou-se regente. Ela confiou todos os poderes do Estado ao cardeal italiano Giulio Mazarino, que era odiado pela maioria dos círculos políticos franceses.
(Consultar a biografia completa)

 MORTE
Nos anos finais do reinado de Luís XIV, uma sucessão de mortes quase pôs em risco a sucessão ao trono. Praticamente todos os filhos legítimos do rei haviam morrido na infância. O único que chegou a idade adulta foi, seu filho mais velho Luís, o Grande Delfim, que morreu em 1711 antes de Luís XIV. O novo herdeiro, Luís, Duque de Borgonha, neto mais velho do rei, contraiu varíola (ou sarampo) e morreu no ano de 1712, seguido por seu filho mais velho Luís, Duque de Bretanha, que sucumbiu à mesma enfermidade. Por fim, o pequeno Duque de Anjou, filho mais novo do Duque de Borgonha e bisneto do rei foi aclamado Delfim de França, tornando-se o sucessor ao trono francês, e reinando como Luís XV de França.

Luís XIV morreu em 1 de Setembro de 1715 de gangrena, poucos dias antes de seu septuagésimo sétimo aniversário e com 72 anos e 100 dias de reinado - o mais longo reinado e governo do mundo ocidental. Seu corpo foi sepultado na basílica de Saint-Denis, em Paris.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales




Nenhum comentário: