“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

20 de fev de 2013

EXUMADOS RESTOS MORTAIS DA IMPERATRIZ LEOPOLDINA

Pela primeira vez em quase 180 anos, os restos mortais do primeiro imperador brasileiro, Dom Pedro I - alojados no Parque da Independência, na zona sul da capital Paulista, desde 1972 - foram exumados para estudos. Também foram abertas as urnas funerárias das duas mulheres de Dom Pedro I: as imperatrizes Dona Leopoldina e Dona Amélia.

DONA MARIA LEOPOLDINA
A primeira imperatriz brasileira nasceu na Áustria. Historiadores destacam suas virtudes: ela teria sido uma mulher caridosa, culta e educada. Durante os anos em que viveu no Rio de Janeiro, Dona Leopoldina conquistou a simpatia dos cariocas. O estudo também desmente a versão histórica - já próxima da categoria de "lenda" - de que Dona Leopoldina teria caído, ou sido derrubada, de uma escada no palácio da Quinta da Boa Vista, então residência da família real. Segundo a versão, corroborada por historiadores como Paulo Setúbal, ela teria fraturado o fêmur. Nas análises no Instituto de Radiologia da USP, porém, não foi constatada nenhuma fratura nos ossos da imperatriz.


 Abertura da urna



 Tomografias

Fonte: Estadao.com.br
Fotos: Victor Hugo Mori

Reportagem: Edison Veiga e Vitor Hugo Brandalise / Infografia: Eduardo Asta e Rubens Paiva / Desenvolvimento: Carol Rozendo / Webdesign: Alex Koti / Modelagem 3D: Jonatan Sarmento / Infográfico multimídia produzido a partir de informações do estudo de mestrado desenvolvido pela historiadora e arqueóloga Valdirene do Carmo Ambiel

Nenhum comentário: