“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

5 de fev de 2012

AURORA MIRANDA - Arte Tumular - 708 - Cemitério São João Batista, Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil





ARTE TUMULAR
Base tumular retangular em granito polido marrom. Na parte posterior (lápide). Parede do mesmo granito em formato irregular comm várias placas de bronze. Na parte central uma escultura em bronze de N.S.Assunção.
LOCAL: Cemitério São João Batista, Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil
Coordenadas GPS: clique para ver o local: [22°57'32.18"S / 43°11'16.92"W]
Descrição Tumular: Helio Rubiales

PERSONAGEM
Aurora Miranda da Cunha (Rio de Janeiro, 20 de abril de 1915 — Rio de Janeiro, 22 de dezembro de 2005) foi uma atriz e cantora brasileira.
Morreu aos 90 anos de idade.
BIOGRAFIA
Estreou na Rádio Mayrink Veiga em 1932, transferindo-se logo para a Philips. Em 1933, em seu primeiro disco, ela gravou Cai, Cai, Balão, cantada em dupla com Francisco Alves.
Além de fazer dupla com a irmã mais famosa Carmem Miranda, Aurora também teve sucesso como cantora na década de 1930. Gravou Cidade Maravilhosa, hino oficial da cidade do Rio de Janeiro, em dupla com o compositor André Filho, em 1934.
As duas irmãs imortalizaram a canção Cantoras do Rádio (João de Barro, Lamartine Babo e Alberto Ribeiro), no filme Alô, Alô Carnaval.
Aurora e Carmem trabalharam no cassino da Urca e moraram juntas nos Estados Unidos da América.
No desenho animado Você Já Foi à Bahia?, de 1944, Aurora "atuou" com o Pato Donald e seus amigos, Zé Carioca e Panchito, graças a uma montagem que misturou filme e desenho animado.
Aurora trabalhou nos filmes Banana-da-terra (1939), Alô, Alô, Carnaval (1936), Estudantes (1935) e Alô, Alô Brasil (1935).
Em 1940, se casou com Gabriel Richaid e foi morar nos Estados Unidos.
Voltou para o Brasil em 1952 e, quatro anos depois, regravou um LP com oito antigos sucessos, encerrando sua carreira de mais de 80 discos de 78 rotações.
Aurora Miranda ainda voltou ao cinema em 1989, no filme Dias Melhores Virão.
MORTE
Morreu às 15 horas do dia 22 de dezembro de 2005 no bairro carioca do Leblon de causas naturais, agravadas pelo Mal de Alzheimer, contra este, lutou por 4 anos. Foi sepultada no Cemitério São João Batista, próximo ao túmulo de Carmen
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação e Pesquisa:Helio Rubiales

Nenhum comentário: