“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

12 de dez de 2011

GENE TIERNEY - Arte Tumular - 693 - Glenwood Cemetery, Houston,Harris County,Texas, USA






ARTE TUMULAR
Placa de mármore retangular no gramado do cemitério, decorado com relevos de rosas nas laterais, com o seu nome e datas.
Local: Glenwood Cemetery, Houston,Harris County,Texas, USA
Plot: Sect. E-1, Lot 40.5

PERSONAGEM
Gene Eliza Tierney (Nova Iorque, 20 de novembro de 1920 — Houston, 6 de novembro de 1991) foi uma atriz americana.
Morreu aos 70 anos de idade.
SINÓPSE
Filha de uma família abastada da Costa Leste, seu pai foi um bem-sucedido corretor de seguros. Durante a infância, viveu algum tempo com seus igualmente bem-sucedidos avós em Connecticut e Nova York. Educada nas mais finas escolas do País, estudou ainda na Suiça por dois anos.
Desde cedo, demonstrou interesse pela carreira de atriz, representando muitas vezes para os pais e amigos. Ao retornar da Europa, passou a freqüentar a Broadway, conseguindo papéis em algumas peças. Ganhou destaque imediato por sua beleza física e, rapidamente, deu o salto para o cinema. Foi Darryl F. Zanuck, produtor da 20th Century Fox, quem a levou para Hollywood, onde estreou em 1940 no filme "A Volta de Frank James", ao lado de Henry Fonda. No ano seguinte, estrelou cinco filmes, dando início a uma carreira de sucesso. Em 1943, com o filme "O Céu Pode Esperar", teve a crítica a seus pés. O ano de 1944 foi, no entanto, o de sua consagração como atriz e estrela. Foi o ano de "Laura", onde fez o papel de uma mulher cobiçada por três homens. Em 1946, teve sua única indicação ao Oscar de Melhor Atriz, por sua excelente atuação em "Amar Foi Minha Ruina", de 1945, perdendo a estatueta para Joan Crawford por sua magnífica atuação em "Alma em Suplício".
Gene Tierney casou-se duas vezes: em junho de 1941, com o famoso figurinista, Oleg Cassini, com quem teve duas filhas, Daria e Christina, e de quem se divorciou em fevereiro de 1952; voltou a se casar em julho de 1960, com W. Howard Lee, com quem viveu até a morte deste em fevereiro de 1981.
O nascimento, em 1943, de uma filha deficiente mental, a levou a tomar doses excessivas de comprimidos e a ter uma vida desregrada, marcada por múltiplos amantes, dentre os quais o então Senador John F. Kennedy, o ator Tyrone Power e o Príncipe Aly Kahn. A esse período, seguiu-se uma fase de depressão, tendo sido internada mais de uma vez.
Tais fatos fizeram com que ela não participasse de nenhuma produção cinematográfica no período de 1955 a 1961. Em 1962, retornou às telas no excelente filme de Otto Preminger, "Tempestade Sobre Washington", após o que apareceu ainda em três outros filmes e três episódios para a TV, sendo o último, "Scruples", em 1980.
PRÊMIOS E HOMENAGENS
Em 1946 foi indicada ao prêmio Oscar da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas na categoria de melhor atriz pela atuação em Leave Her to Heaven, de 1945. Tem uma estrela na Calçada da Fama, em 6125 Hollywood Blvd.
MORTE
Gene Tierney morreu em conseqüência de enfisema, duas semanas antes de competar 71 anos de idade
Fonte: pt.wikipedia.org, 65anosdecinema.pro.br,belasatrizes.blogspot.com
Formatação: Heluio Rubiales

Um comentário:

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Caro confrade Hélio Rubiales!
Agradeço sobremaneira sua atenção em versar no seu imperdível blog sobre o jazigo da minha amada imortal, a inigualável atriz Gene Tierney!!!
Caloroso abraço! Saudações tierneyanas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP