“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

13 de nov de 2011

EVA BRAUN - Arte Tumular - 675




ARTE TUMULAR
Em 4 de Abril de 1970 uma equipe soviética da KGB secretamente exumou os restos mortais e foram e levados de caminhão para um terreno vazio a 11 quilômetros de Magdeburg, próximo a cidade de Schenebeck, onde foram primeiramente pulverizados com golpes de barras de ferro sendo posteriormente embebidas em gasolina e totalmente queimados com restos de carvão. O integrantes da operação, recolheram as cinzas num recipiente, procuraram então um ponto elevado na margem do rio para jogar as cinzas na água. Escolheram então uma ponte sobre o rio Ehle (Elba) perto da cidade de Biederitz.
Local: ?
Descrição: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Eva Anna Paula Hitler, ou simplesmente Eva Braun, (Munique, 6 de Fevereiro de 1912 — Berlim, 30 de Abril de 1945) foi durante muitos anos a companheira de Adolf Hitler e viria a ser sua esposa, casando-se com ele poucas horas antes de ambos cometerem suicídio.
Morreu aos 33 anos de idade.
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Filha de Franziska Braun, uma professora, Eva foi educada num convento e sempre teve desavenças com o pai. Aos dezessete anos, começou a trabalhar como ajudante de Heinrich Hoffmann, um fotógrafo. Foi isso que propiciou seu encontro com Adolf Hitler, em 1929.
Em 1931, Geli Raubal, filha da meia-irmã de Hitler, é encontrada morta. Não se sabe ao certo as causas de sua morte: alguns dizem que se matou (por diversos motivos: ciúmes de Renate Müller, uma atriz que poderia ter se envolvido com Hitler; depressão; um amor perigoso com seu chauffer; talvez até estivesse grávida), outros dizem que foi assassinada pelo próprio Hitler. A partir daí, Hitler passou a se interessar mais pela secretária vinte três anos mais jovem, que trabalhava na casa de fotografias de seu amigo.
Em 1932, Eva passou a morar na casa que mais tarde seria Berghof porém continuava vendo o Führer poucas vezes. Além da moradia, ainda lhe fora oferecida uma Mercedes. De 1932 a 1935 Eva tentou suicidar-se duas vezes, com um tiro de pistola e comprimidos para dormir, respectivamente. Recuperou-se das duas tentativas e somente então, Hitler passou a dar-lhe um pouco mais de atenção.
A relação entre os dois era mantida em segredo da Alemanha. Muitos partidários de Hitler nem sabiam de sua existência. As mulheres alemãs não deveriam tomar conhecimento do caso entre Adolf e Eva, pois muitas delas apoiavam o Nazismo não pela teoria em si, mas pelo líder carismático, que recebia muitas cartas de fãs apaixonadas. Eva era raramente vista em público.
Eva sempre se interessou pelo seu casamento. Quando perguntava ao amásio sobre isso, Hitler respondia:
"Tenho que me preocupar com os interesses do Estado".
Ela também passou por alguns momentos humilhantes, Adolf Hitler dizia, em sua frente que "um homem extraordinariamente inteligente tinha que ter uma mulher burra e primitiva", no caso, Eva.
Aparentemente, Eva nunca teve conhecimento dos assuntos internos do Terceiro Reich, principalmente no que diz respeito ao Holocausto, mas apenas do que se referia às manobras militares, segundo o relato de Albert Speer, arquiteto do Reich e Ministro do Armamento. Apesar da guerra, Braun sempre teve uma vida faustosa e sem preocupações. Eva era uma apaixonada por fotografia, e muitas das fotos e filmes de Hitler são da sua autoria.
Em 1945, Eva Braun seguiu o Führer para o Führerbunker onde, no dia 29 de Abril daquele ano, ele a desposou. Eva estava tão animada que, na hora de assinar a certidão de casamento, ela se esqueceu e começou "Eva B...", logo corrigindo para "Frau Eva Hitler".
Um dia depois, no dia 30 de Abril, Adolf Hitler matou-se com um tiro na têmpora direita. Eva o seguiu no suicídio, bebendo cianeto. Tinha 33 anos. Os seus corpos foram queimados com gasolina, por outros indivíduos presentes na Chancelaria. Mais tarde, soldados soviéticos recuperaram os seus restos mortais, que foram depois exumados e dispersados. Existem muitas controvérsias quanto a este fato.
Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: