“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

15 de out de 2011

EMIL ZÁTOPEK - Arte Tumular - 640 - Walachian Open-Air Museum ,Roznov Pod Radhostem,Zlinsky Region, Czech Republic

República Checa



ARTE TUMULAR
A lápide é composta por uma pedra granítica de formato irregular tendo como destaque uma escultura em relevo de um corredor com o seu nome gravado.

Local: Walachian Open-Air Museum ,Roznov Pod Radhostem,Zlinsky Region, Czech Republic
Fotos: Anthony B
Descrição tumular: Helio Rubiales
PERSONAGEM
Emil Zátopek (Kopřivnice, 19 de Setembro de 1922 — Praga, 22 de Novembro de 2000) foi um atleta checo.
Morreu aos 78 anos de idade.
SINOPSE
Sexto filho de uma família pobre, tornou-se um dos maiores nomes do atletismo em todos os tempos e recebeu o apelido de "Locomotiva de Praga" ou "Locomotiva Humana!".
É o único homem a vencer os 5000 metros, 10000 metros e a maratona numa mesma Olimpíada. O feito aconteceu nos Jogos de 1952, em Helsínquia, na Finlândia.
Zátopek já havia participado da Olimpíada de Londres de 1948, quando foi medalhado com o ouro nos 10.000 m e a prata nos 5.000 m. Mas foi em Helsínquia, aos trinta anos de idade, que conseguiu sua façanha gloriosa: venceu os 10.000 m com o novo recorde olímpico de 29 min 17 s. Quatro dias depois, conquistou a medalha de ouro nos 5.000 m com o tempo de 14 min 6 s 6. E três dias depois, enfrentava a maratona no que era a sua primeira experiência na distância. Como era "calouro", Zátopek resolveu acompanhar os "especialistas" e acabou vencendo com o novo recorde olímpico de 2 h 23 min 4 s.
Ao todo, Zátopek bateu vinte recordes mundiais em distâncias variando de 5.000 m a 30.000 m. Em 1951 tornou-se o primeiro homem a cobrir 20 km em uma hora (20.052 m). Ainda participou da maratona dos Jogos de 1956, apenas 45 dias depois de se submeter a uma cirurgia de hérnia. Apesar do médico lhe recomendar ficar dois meses sem correr, Zátopek completou a maratona em sexto lugar.
Zátopek foi casado com uma atleta também Checa, de Lançamento do dardo. Trata-se de Dana Zátopková, que nasceu no mesmo dia, mês e ano que ele e também foi campeã olímpica. Na tradição deles não se permitia o casamento se a mulher fosse mais velha que o homem, mas Zatopek veio a provar que Dana era mais nova que ele algumas horas, e então puderam se casar sem choque contra a cultura deles.
ZÁTOPEC NO BRASIL
Em 31 de dezembro de 1953 Zátopec competiu na famosa Corrida de São Silvestre criada pelo jornalista Cásper Líbero para ser disputada no último dia de cada ano. O corredor checo venceu com facilidade sob os aplausos de todos os espectadores.
HERÓI PRESO
Um herói em seu país natal, Zatopek era uma figura influente no Partido Comunista. No entanto, ele apoiou ala democrática do partido, e depois da Primavera de Praga , ele foi removido de todas as posições importantes e forçadas a trabalhar em uma mina de urânio como punição. No dia 9 de Março de 1990, Zatopek foi reabilitado por Václav Havel.
MORTE
Zatopek morreu em Praga , após uma longa doença, em 2000 na idade de 78. Ele foi condecorado com a medalha Pierre de Coubertin postumamente em Dezembro de 2000. Zatopek é o único atleta olímpica cuja estátua aparece no Musée Olympique , em Lausanne.
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário: