“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”



ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



INICIE A MUSICA

PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

17 de jan de 2009

MARIA ANTONIETA - Arte Tumular -97-Saint Denis Basilique, Saint-Denis, Ile-de-France Region, France


bandeira-austria-imagem-animada-0007








Rei e Rainha
ARTE TUMULAR
TUMULO ATUAL
CENOTÁFIO
Magnífico complexo escultórico em estilo gótico, todo em mármore, representando os soberanos um ao lado do outro, o rei Louiz XVI e a rainha Maria Antonieta. Do lado esquerdo, destaca-se a rainha com as vestes reais e coroada, ajoelhado num genuflexório ricamente decorado, tendo na parte frontal em relevo o brasão heráldico da realeza francesa. Com os dois braços flexionados, mantem as mãos juntas ao corpo como se orasse. Com a cabeça ligeiramente baixa dirigida ao rei ao seu lado, como se quizesse manter a soberba da realeza perdida no seu reinado. Note que a rainha está num genuflexório menor, respeitando a hierarquia real
Cenotáfio

Basílica de Saint Denis
TÚMULOS/CRIPTA
Todo esse conjunto tumular visível na Basílica de Saint Denis exposto ao público, trata-se de um cenotáfio, isto é, é um monumento eregido à memória do morto, mas que não lhe encerra o corpo.
Os seus restos mortais estão sepultados logo abaixo, na mesma posição do monumento, no sub-solo, na cripta real, restrito à visitação. Na cripta em estilo gótico estão os seus restos mortais cobertos por uma base tumular (lápide) em mármore negro, com o seu nome e datas gravados em dourado.
LOCAL:Saint Denis Basilique, Saint-Denis, Ile-de-France Region, France
Fotos: commons.wikipedia.org
Cripta no sub-solo
TUMULO ANTIGO
Durante 21 anos ficou sepultada nesse local. Desde a sua morte na guilhotina na Praça de la Concorde, o seu corpo foi levado para o Cemitério de Madelein e sepultado numa vala comum e coberto com cal virgem, na chamada Capela Expiatória (Capela de desejo e recuperação) até ser reabilitada a sua condição de rainha, quando foi transferida para a Caredral de Saint Denis, juntamente com o rei

Tumulo comum
Porta da entrada
Chapelle Expiatória
Entrada do Cemitério Madelein
LOCAL:Cimetière du Madelein, Chapelle Expiatória, Paris, Ile-de-France, França
Fotos: Gay Thelen
Descrição Tumular: HRubiales



PERSONAGEM
Maria Antonieta Josefa Joana Von Habsburgo-Lorena (em francês: Marie Antoinette Josèphe Jeanne de Habsbourg-Lorraine; Viena, 2 de novembro 1755 - Paris, 16 de outubro 1793), arquiduquesa da Áustria e rainha consorte de França de 1774 até a Revolução Francesa, em 1789.
Morreu aos 38 anos de idade.

BIOGRAFIA
Maria Antonieta era a filha mais nova de Maria Teresa de Habsburgo e de Francisco Estêvão de Lorena, respectivamente, rainha soberana da Áustria e imperador do Sacro Império Romano Germânico. Casou-se em 1770, aos catorze anos de idade, com o delfim francês Luís Augusto, que, em 1774, tornou-se o rei de França, com o nome de Luís XVI.
Em 1789, durante a Revolução Francesa, a família real foi detida no palácio de Versailles e levada pelos revolucionários para o Palácio das Tulherias. Ficou aí detida com seu marido e filhos, até que, em 1792, com o auxílio do conde Axel Fersen, foi tentada uma fuga, mas foram reconhecidos e detidos quando passavam em Varennes. Esse episódio ficou conhecido como a "Noite de Varennes".

MORTE
Ela foi condenada à morte, sendo capitada no dia 16 de outubro de 1793. Ela foi ao suplício numa gaiola (Luis XVI teve um carrossel). Seu corpo foi colocado numa fossa comum ao lado de seu marido e após o regresso dos Bourbons, após a derrota de Napoleão, os corpos foram sepultados na Basílica de Saint-Denis (perto de Paris) e no sítio da fossa comum foi edificada a "Capela Expiatoire".

2 comentários:

hotland disse...

MI QUERIDO AMIGO, CUANDO VIVIA EN PARIS FUI A VISITAR CON EL COLEGIO LA TUMBA DE MARIE ANTOINETE YA QUE YO VIVA EN ESE PUEBLO. SABES ME HA GUSTADO MUCHO RECORDAR, TAMBIEN ESTUVE EN VERSALLES VIENDO EL PALACIO Y LA CASITA DONDE ELLA RECIBIA A TODOS SUS AMANTES. MUY INTERESANTE ESTE TRABAJO T FELICITO

HRUBIALES disse...

Querida amiga
Gracias por enriquecer mas este sitio con detalles importantes.