“MEMENTO, HOMO, QUIíA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS. ”

''REVERTERE AD LOCVM TVVM'

'Retornarás de onde vieste'


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades que marcaram época. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.



PESQUISAR: COLOQUE O NOME DO PERSONAGEM

22 de nov. de 2022

ERASMO CARLOS - Arte Tumular - 1729 -

 





Erasmo Carlos
Erasmo Carlos durante show em 2016.
Informação geral
Nome completoErasmo Esteves
Também conhecido(a) comoTremendãoGigante Gentil, Rei do rock brasileiro[1]
Nascimento5 de junho de 1941[2]
Local de nascimentoRio de JaneiroRJ
Brasil
Morte22 de novembro de 2022 (81 anos)
Local de morteRio de JaneiroRJ
Nacionalidadebrasileiro
Gênero(s)
Ocupação(ões)
CônjugeSandra Sayonara Saião Lobato Esteves (c. 1978–91)
Fernanda Passos (c. 2019)
Instrumento(s)
Período em atividade1958 - 2022
Gravadora(s)
Afiliação(ões)
Página oficialerasmocarlos.com.br
PERSONAGEM
Erasmo Esteves OMC (Rio de Janeiro, 5 de junho de 1941 — Rio de Janeiro, 22 de novembro de 2022), conhecido artisticamente como Erasmo Carlos, foi um cantor, compositor, ator, músico, multi-instrumentista e escritor brasileiro. Um dos pioneiros do rock brasileiro, nos anos 60 fez parceria com o cantor e compositor Roberto Carlos, compondo várias músicas juntos, que gravavam em seus discos em carreira solo.
Morreu aos 81 anos

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
ANOS 50 E 60
Nasceu no bairro da Tijuca na Zona Norte do Rio de Janeiro, de mãe solteira, vindo a conhecer seu pai, somente aos 23 anos de idade.

Erasmo conhecia Sebastião Rodrigues Maia – que mais tarde ficaria conhecido como Tim Maia – desde a infância. Entretanto, a amizade só viria na adolescência por conta do gosto pelo rock and roll. 

Em 1957 Tim Maia montou a banda The Sputniks, junto com Tim, Arlênio Lívio, Wellington Oliveira e Roberto Carlos. Após uma briga entre Tim e Roberto, o grupo foi desfeito. Wellington desistiu da carreira musical e o único remanescente era Arlênio, que no ano seguinte resolveu chamar Erasmo e outros amigos da Tijuca, Edson Trindade (que tocou violão no grupo Tijucanos do Ritmo, em que Tim Maia tocava bateria) e José Roberto, conhecido como "China" para formarem o grupo vocal "The Boys of Rock". 





Por sugestão de Carlos Imperial o grupo passou a se chamar The Snakes. O grupo acompanhava tanto Roberto quanto Tim Maia em seus respectivos shows. Roberto precisava da letra para a canção Hound Dog, sucesso na voz de Elvis Presley, e Arlênio Lívio apresentou Erasmo a Roberto, afirmando que Erasmo teria a letra, pois era um grande fã de Elvis. Roberto descobriu outras afinidades com Erasmo. Além de Elvis, ambos gostavam de Bob Nelson, James Dean, Marlon Brando, Marilyn Monroe, e torciam para o Vasco da Gama. 

Quando fazia parte do The Snakes, Tim Maia ensinou Erasmo a tocar violão. O The Snakes chegou a acompanhar o cantor Cauby Peixoto em sua inusitada passagem pelo rock, na gravação de "Rock and Roll em Copacabana" de 1957 e no filme "Minha Sogra é da Polícia" (1958), em que o cantor interpreta a canção "That's Rock" composta por Imperial.

Nos tempos da juventude também conheceu, Jorge Ben Jor,[6] na época conhecido como Babulina e Wilson Simonal, que também foi agenciado por Carlos Imperial. Erasmo resolveu adotar o nome Carlos no nome artístico em homenagem ao Roberto Carlos e a Carlos Imperial e com esse nome lançou o compacto que seria de grande sucesso, com a música O Terror dos Namorados, com a novidade do Órgão Hammond de Lafayette, que também era seu amigo e da Turma do Bar Divino na Tijuca. Com a chegada da bossa nova, Erasmo também se deixou influenciar pelo gênero. Roberto chegou a se tornar crooner cantando bossa nova, bastante influenciado por João Gilberto. Nesse período, Erasmo compôs "Maria e o Samba", cantado por Roberto na boate onde era crooner. Antes de seguir carreira solo, Erasmo fez parte da banda Renato e Seus Blue Caps. Participou efetivamente junto com Roberto Carlos e com Wanderléa do programa Jovem Guarda, onde tinha o apelido de Tremendão, tentando se diferenciar de Elvis, por mais que este fosse seu ídolo. Seus maiores sucessos como cantor nessa fase foram "Gatinha Manhosa" e "Festa de Arromba". 
Em 1966, Erasmo compõe com Roberto o sambalanço "Toque o Balanço", gravado por Elza Soares. 

Também em 1966, Erasmo, Eduardo Araújo e Carlos Imperial foram acusados de corrupção de menores, sendo contudo inocentados. Com o término do programa, entrou em crise, mas conseguiu se recuperar com a ajuda de seu parceiro Roberto Carlos e de sua esposa, Narinha. Nessa fase de transição fez sucesso cantando "Sentado à Beira do Caminho" e "Coqueiro Verde", primeiro samba-rock gravado por Erasmo. Roberto e Erasmo eram criticados por cantar e compor rock e de serem americanizados. Erasmo chegou a dividir uma apartamento no bairro do Brooklin em São Paulo com Jorge Ben Jor, apontado como um dos criadores do estilo, 

O disco Erasmo Carlos e os Tremendões já é um trabalho transitório na carreira do artista. O LP, de 1969, traz interpretações muito peculiares de canções de compositores da MPB, como "Saudosismo", de Caetano Veloso e "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso, lançada no filme Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa, em que Erasmo atua com Roberto e Wanderléa) e "Teletema" (canção originalmente interpretada por Regininha, sucesso por ter sido tema da novela Véu de Noiva, da Rede Globo), de Antônio Adolfo e Tibério Gaspar, além da primeira gravação de "Sentado à Beira do Caminho". 

ANOS 70
Erasmo Carlos, Roberto Carlos e Wanderléa no filme “Roberto Carlos e o diamante cor de rosa”, 1970. Arquivo Nacional. Na década de 1970, Erasmo assina com a Polydor. A primeira metade da década mostra o Tremendão num estilo bem diferente da Jovem Guarda. Influenciado pela cultura hippie e pelo soul, lança Carlos, Erasmo em 1971. O disco, que abre com "De Noite na Cama", escrita por Caetano Veloso especialmente para ele, traz um polêmica ode à maconha. 

O existencialismo prossegue em seus outros LPs dos anos 70: Sonhos e Memórias, Projeto Salva Terra e Banda dos Contentes. "Sou uma Criança, Não Entendo Nada", "Cachaça Mecânica" e "Filho Único" são algumas canções de destaque no período. Pelas Esquinas de Ipanema, seu LP de 1978, inclui uma impactante canção que denuncia o descaso do homem com a ecologia: "Panorama Ecológico". 

Participou dos filmes Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora (1971), de Roberto Farias; e Os Machões (1972), dirigido por Reginaldo Faria, que também atuou no filme. Em 1975 aparece em show ao vivo no documentário Ritmo Alucinante, registro do festival de rock Hollywood Rock, realizado no mesmo ano, no Rio de Janeiro. 

ANOS 80
Erasmo Carlos começa os anos 80 com um projeto ambicioso. Erasmo Convida é um pioneiro projeto no Brasil. Foram doze canções interpretadas em dueto com artistas como Nara Leão, Maria Bethânia, Gal Costa, Wanderléa, A Cor do Som, As Frenéticas, Gilberto Gil, Rita Lee, Tim Maia, Jorge Ben e Caetano Veloso. A faixa de abertura do álbum foi a que teve maior destaque nas rádios: a regravação de "Sentado à Beira do Caminho", com a participação do parceiro Roberto Carlos nos vocais. 

No ano seguinte, o LP Mulher tem uma grande repercussão com as canções "Mulher (Sexo Frágil)" (escrita com sua mulher, Narinha), "Pega na Mentira" e "Feminino Coração de Deus" (de Sérgio Sampaio). O sucesso na mídia, que continuou com Amar Pra Viver ou Morrer de Amor (1982), trouxe uma cobrança para Erasmo: assim como o parceiro Roberto Carlos (no auge do sucesso), ele deveria lançar um trabalho inédito todos os anos. "Lentinha, para tocar no rádio", como disse o cantor ao relembrar seus discos na época. Embora seja a década com mais lançamentos de trabalhos novos, Erasmo tem algumas ressalvas sobre os seus discos a partir da segunda metade da década - Buraco Negro (1984), Erasmo Carlos (1985), Abra Seus Olhos (1986) e Apesar do Tempo Claro... (1988). O disco de 1988 seria seu último na Polydor (selo da Polygram, mais tarde Universal Music). 

Valendo-se ainda do filão engajado da pós-ditadura, cantou, ainda que numa participação especial diminuta, no coro da versão brasileira de "We Are the World", o hit americano que juntou vozes e levantou fundos para a África, ou USA for Africa. O projeto Nordeste Já (1985), abraçou a causa da seca nordestina, unindo 155 vozes num compacto, de criação coletiva, com as canções "Chega de Mágoa" e "Seca d'Água". Elogiado pela competência das interpretações individuais, foi, no entanto, criticado pela incapacidade de harmonizar as vozes e o enquadramento de cada uma delas no coro. 

Em 1989, ele ainda faria o álbum ao vivo Sou uma Criança, com participações de Leo Jaime e dos grupos Kid Abelha e João Penca e Seus Miquinhos Amestrados e lançado pela pequena gravadora SBK. 

ANOS 90
Nos anos 90, o trabalho de Erasmo apareceu de forma bissexta na canção. Além de sempre assinar com Roberto Carlos as canções feitas para seus discos anuais, ele lançou dois discos. Homem de Rua, lançado pela Sony Music em 1992, chegou a ter repercussão com a faixa-título, que fez parte da trilha da telenovela De Corpo e Alma, mas a canção era tema do personagem Bira de Guilherme de Pádua, que, ao lado da esposa Paula Thomaz, assassinou a atriz Daniella Perez, filha da autora da novela Glória Perez. Por conta desse acontecimento, Erasmo em respeito a atriz, nunca mais cantou essa música. Outra gravação de destaque foi "A Carta", na qual Erasmo cantou com Renato Russo. 

Em 1995, ele voltou a ter destaque nas comemorações dos trinta anos da Jovem Guarda, que rendeu discos e shows. No ano seguinte, Erasmo gravou o álbum É Preciso Saber Viver, com regravações de canções de seu repertório. O destaque foi para "Do Fundo do Meu Coração", dueto com Adriana Calcanhotto. 

Em 26 de dezembro de 1995, sua ex-esposa Sandra Sayonara Saião Lobato Esteves, a Narinha morreu de parada cardiorrespiratória, aos 49 anos, depois de ingerir cianeto. Narinha tinha uma ponte de safena e havia tentado o suicídio duas vezes. A primeira, com um tiro, e outra, ao ingerir uma alta dose de tranquilizantes. Narinha era paisagista e morava sozinha num apartamento em São Conrado, no Rio de Janeiro. O casal estava divorciado havia quatro anos, depois de um casamento de treze.

SÉCULO XXI
Somente em 2001 Erasmo voltaria a lançar um disco novo. Pra Falar de Amor traz interpretações dele para canções apenas suas, além de canções de Kiko Zambianchi e Marcelo Camelo. O destaque é "Mais um na Multidão", dueto com Marisa Monte e de autoria de Erasmo Carlos, Marisa Monte e Carlinhos Brown. No ano seguinte, ele lançou seu primeiro DVD ao vivo, além de um CD duplo. 

No início de 2004, ele lançou seu trabalho mais autoral: Santa Música, com doze canções de autoria apenas de Erasmo Carlos. Além da faixa-título, destaca-se a faixa "Tim", feita em homenagem a Tim Maia. Em 5 de fevereiro de 2004, sua mãe Maria Diva Esteves faleceu aos 83 anos devido a complicações de diabetes e isquemia.

Em 2007, Erasmo novamente lançou um disco no qual recebe convidados. Erasmo Convida, Volume II apresenta novos encontros musicais em que Erasmo interpreta parcerias dele com Roberto. Adriana Calcanhotto, Lulu Santos, Simone, Marisa Monte, Milton Nascimento e as bandas Skank e Los Hermanos estão entre os convidados. A faixa de maior destaque nas rádios é "Olha", cantada com Chico Buarque, e tema da novela das 21 horas, Paraíso Tropical, da Rede Globo. 

Também em 2007, Erasmo compôs a faixa de abertura de SóNós, o segundo disco-solo da vocalista do Kid Abelha, Paula Toller. 

No dia 5 de junho de 2009, no dia em que completou 68 anos, Erasmo lançou, pela sua gravadora Coqueiro Verde, o CD Rock 'n' Roll, uma homenagem ao gênero que mais o influenciou, com doze composições próprias, sendo sete em parceria: Nando Reis (em "Um beijo é um tiro" e "Mar vermelho"), Nelson Motta (em "Chuva ácida" e "Noturno Carioca"), Chico Amaral (em "Noite perfeita" e "A guitarra é uma mulher"), e Liminha e Patrícia Travassos (em "Celebridade"). Destaque também para "Olhar de Mangá", na qual Erasmo cita nomes de 52 personalidades femininas (reais ou fictícias). A canção é inspirada nas expressões faciais usadas nos quadrinhos japoneses (os chamados mangás). No mesmo ano, publicou a autobiografia Minha Fama de Mau publicada pela Editora Objetiva. O livro seria adaptado em um filme homônimo em 2019, com Erasmo interpretado por Chay Suede. 

Em 2010, Erasmo compôs em parceira com Eduardo Lages e Paulo Sérgio Valle um samba enredo para a GRES Beija-Flor, que anunciou um enredo sobre Roberto Carlos para 2011. porém, o samba composto por Erasmo não passou nas eliminatórias, A canção escolhida foi "A Simplicidade de um Rei", que tem como um dos co-autores, JR Beija-Flor, filho do intérprete da Escola, Neguinho da Beija-Flor.

 Erasmo lançou um novo disco intitulado Sexo em agosto de 2011. Em 2013 a faixa "Além do Horizonte" foi tema da novela homônima das 19 horas, também da Rede Globo. Em 2014, é lançado Gigante Gentil, seu terceiro disco consecutivo só com músicas inéditas. O disco venceu o Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock Brasileiro. Em 14 de maio de 2014, seu filho Alexandre Pessoal, também cantor e compositor, morreu aos quarenta anos de idade, vítima de morte cerebral causada por um acidente de moto em 7 de maio. Ficou em coma induzido, porém não resistiu ao tratamento e faleceu. 

No dia 29 de agosto de 2018, Erasmo foi indicado ao Grammy Latino: Prêmio Excelência Musical da Academia Latina de Gravação. Já no dia 13 de novembro de 2018, em Four Seasons Hotel, em Las Vegas, foi homenageado e então recebeu o prêmio, insigne de "à excelência musical". Ganhou também o prêmio UBC em 9 de outubro em 2018, pela "União Brasileira dos Compositores", como o "compositor brasileiro do ano". Foi feita também uma homenagem em forma de documentário, em que vários artistas atuais e clássicos compareceram, como Gilberto Gil, Ludmilla, entre outros. 

Seu álbum ...Amor É Isso foi eleito o 10º melhor disco brasileiro de 2018 pela revista Rolling Stone Brasil,[25] e um dos 25 melhores álbuns brasileiros do primeiro semestre de 2018 pela Associação Paulista de Críticos de Arte. 

Em dezembro de 2019, lançou o EP Quem Foi Que Disse Que Eu Não Faço Samba..., dedicado a canções de samba, sambalanço e samba rock compostas ao longo de sua carreira. 

Em 2020, assina contrato com a Netflix, como ator protagonista no longa-metragem Modo Avião, juntamente com Larissa Manoela. Em fevereiro de 2021 lança o álbum O futuro pertence à... Jovem Guarda com oito canções dos anos 60.

MORTE
Erasmo Carlos morreu no dia 22 de novembro de 2022 no Rio de Janeiro, após ser internado no mesmo dia em um hospital na Barra da Tijuca.

Fonte: pt.wikipédia.org
Formatação: Helio Rubiales

4 de out. de 2022

ÉDER JOFRE - Arte Tumular - 1728- Memorial Necrópole Ecumênica, Santos, São Paulo

 

CREMAÇÃO

Seu corpo foi cremado no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos e as cinzas entregue aos familiares


Eder Jofre Boxing pictogram.svg
Informações pessoais
ApelidoGalo de Ouro
CategoriaPesos Galo e Pena
Nacionalidadebrasileiro
Data de nasc.26 de março de 1936
Cidade natalSão PauloSP
Falecimento2 de outubro de 2022 (86 anos)
LocalEmbu das Artes, SP
Estilotécnico com forte pegada
Cartel
Lutas81
Vitórias75
Nocautes52
Derrotas2
Empates4

PERSONAGEM
Éder Jofre (São Paulo, 26 de março de 1936 – Embu das Artes, 2 de outubro de 2022) foi um pugilista brasileiro. Conhecido pela alcunha "Galo de Ouro", concedida pelo escritor Benedito Ruy Barbosa, foi tricampeão mundial de boxe, campeão peso-pena pelo Conselho Mundial de Boxe (WBC), e campeão do peso-galo pelo Conselho Mundial de Boxe (WBC) e pela NBA (National Boxing Association), posterior Associação Mundial de Boxe (WBA). Lutava, quando amador, sob as cores do São Paulo Futebol Clube.
Morreu aos 86 anos

SINOPSE
Introduzido ao "Hall da Fama" do boxe, localizado na cidade de Canastota, Estados Unidos, em 1992, foi considerado, por especialistas de boxe do mundo inteiro na revista especializada em boxe The Ring como o "melhor pugilista da década de 1960", à frente de Muhammad Ali, que ficou na segunda colocação. Além disso, em 2002 ele foi ranqueado na nona posição entre os "melhores pugilistas dos últimos cinquenta anos" novamente pela revista norte-americana The Ring, e considerado por especialistas como o maior peso-galo do boxe na era contemporânea.

Converteu-se ao vegetarianismo em 1956, depois de uma leitura que indicava que a carne era prejudicial ao organismo humano, conforme declarou no documentário A Carne é Fraca produzido pelo Instituto Nina Rosa. 

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Nasceu no centro de São Paulo, na rua do Seminário, e posteriormente se mudou para o bairro paulistano do Peruche, localizado na zona norte. Sua família era de boxeadores, pois seu pai, o argentino José Aristides Jofre, conhecido como "Kid Jofre" (1907 - 1974), já havia sido um respeitável pugilista, passando assim os ensinamentos para o filho, que logo aprendeu a "amar a nobre arte", apesar de sua primeira opção profissional ter sido pelo desenho arquitetônico, curso que realizava em sua adolescência. Em virtude do desabamento do teto do Liceu de Artes e Ofícios, perdeu o material didático e por não ter recursos para adquirir um novo, desistiu do sonho de desenhista. Só para ilustrar, adorava fazer desenhos de seus super heróis favoritos, como Capitão Marvel, Super Homem e Capitão América. 

Em 1953, subiu pela primeira vez nos ringues como amador, no torneio "Forja de Campeões", patrocinado pelo jornal A Gazeta Esportiva. Ainda na condição de amador, disputou os Jogos Olímpicos de 1956 em Melbourne, Austrália. Chegou aos jogos como um dos favoritos, já que estava invicto como amador até então, mas devido a organização brasileira, que o fez treinar com um lutador bem maior e cuja consequência foi a quebra de seu nariz, fez com que ele lutasse sem muitas condições, tendo que respirar pela boca, culminando na derrota, em sua segunda luta na competição, por decisão dos jurados para o chileno Claudio Barrientos que após tornar-se profissional voltou novamente a lutar contra Eder e foi derrotado sendo "vítima" de 8 knock downs. 

Profissionalmente, começou em 1957 na categoria "peso-galo". No ano seguinte, era já um campeão brasileiro em sua categoria. Em 1960, contra o argentino Ernesto Miranda, conquistou o título sul-americano dos "galos", começando assim, a escrever o seu nome na história do boxe mundial. Em 1961, muda-se para os Estados Unidos e torna-se campeão mundial pela National Boxing Association, a mesma que se tornou a Associação Mundial de Boxe (WBA) em 1962, vencendo, por nocaute, o mexicano Eloy Sanchez no Olympic Auditorium. Um ano depois, unificou os títulos da categoria "peso galo", vencendo o irlandês Johnny Caldwell, campeão da versão europeia. Eder conseguiu manter o seu título mundial até 1965, ganhando todas as lutas por nocaute. Naquele ano, em um resultado contestado, foi derrotado pelo japonês Fighting Harada. Em 1966, na revanche, outra derrota em um resultado controverso, culminando em enorme desilusão. 

Em 1970, após três anos de sua "aposentadoria", onde fazia várias exibições pelo Brasil afora, em um circo de sua tia Olga Zumbano. Voltou aos ringues lutando na categoria "peso pena". Foram 25 vitórias, sendo uma delas em cima do gigante cubano, naturalizado espanhol, José Legra que lhe valeu o título mundial do Conselho Mundial de Boxe (W.B.C), em uma categoria superior a que ele começou; isso aconteceu em 5 de maio de 1973. Durante a luta seu pai passou mal e foi internado. Fez uma única defesa do título dos penas contra um dos maiores pugilistas mexicano, Vicente Saldivar, e o derrota por nocaute no 4º round mantendo seu cinturão. 

Em 1974, seu pai e treinador, Kid Jofre, morreu devido a um câncer no pulmão, e em 1976, devido a morte do irmão Dogalberto, aposenta-se do boxe profissional. 

Mesmo após ter se aposentado do esporte, continuou a disputar lutas em forma de exibições, uma delas realizada no Ginásio do Ibirapuera, que é considerado uma das mais notáveis contra Servílio de Oliveira, o primeiro medalhista Olímpico do Boxe brasileiro em 1968, transmitida pela Rede Record de televisão. 

Também foi professor de boxe em uma famosa academia paulistana, treinando modelos, atores, empresários. 

POLÍTICA
Participou na política partidária como político, foi eleito vereador de São Paulo pelo PDS, em 1982. Em 1989, filiou-se ao PSDB, seguindo carreira política de 1989 a 2000, quando foi membro da Assembleia Constituinte Municipal que promulgou a Lei Orgânica do Município de São Paulo, sendo um dos seus signatários. Foi autor de 25 leis, sendo a grande maioria relacionada a saúde e educação. 

MORTE
Em março de 2022, Éder Jofre foi internado em São Paulo, por causa de uma pneumonia. E em 2 de outubro de 2022, já bastante debilitado pela doença, acabou morrendo aos 86 anos. 

CINEMA
Um filme foi produzido em homenagem a Éder Jofre, com o título de "10 Segundos Para Vencer". O filme conta sua história e a relação entre ele e seu pai e treinador, Kid Jofre, além de mostrar suas grandes conquistas no boxe. 

Criado por Thomas Stavros, que também assina o roteiro e produção, o filme foi produzido pela Globo Filmes, em parceria com a Tambellini Filmes. Também são produtores, Breno Silveira e Chico Abréia, e dirigido por José Alvarenga Júnior. Daniel de Oliveira no papel de Eder Jofre, o filme conta ainda com a participação de Osmar Prado, Ravel Andrade, Sandra Corveloni, Kelly Freitas, Samuel Toledo, Wither Dalus e Ricardo Gelli. A data de lançamento do filme foi 27 de setembro de 2018.

No dia 25 de agosto de 2018, o filme foi agraciado por 2 Kikitos no Festival de Cinema de Gramado: Melhor Ator para Osmar Prado (Kid Jofre), e Melhor Ator Coadjuvante para Ricardo Gelli (Antonio "Tonico" Zumbano).

HOMENAGENS
A partir de 17 de outubro de 2021,Eder Jofre torna-se o primeiro boxeador do Brasil a ter seu nome incluído na galeria do Hall da Fama da Costa Oeste (WCBHOF), em Los Angeles. Indicado em 1992, Eder também já faz parte do IBHOF - Hall da Fama Internacional, localizado em Canastota, Nova Iorque, o mais importante deles, criado em 1989, onde também é o único nome brasileiro. Também faz parte de outras três galerias semelhantes que listam os melhores de todos os tempos na modalidade, todas nos Estados Unidos. 

A The Ring, edição de 90 anos, o escolheu como melhor boxeador da década de 1960. Muhammad Ali ficou em segundo. Apesar da satisfação de vê-lo ser homenageado internacionalmente, os filhos de Eder Jofre lamentam que ele seja pouco reconhecido no Brasil.

Fonte: Wikipédia
Formatação: Helio Rubiales

20 de set. de 2022

JOSÉ MOJICA (Frei Mojica) - Arte tumular - 1727- Basílica de San Francisco de Lima Lima, Provincia de Lima, Lima, Peru

 


CATACUMBAS

Foi sepultado nas catacumbas do Mosteiro conforme os rituais da Ordem Franciscana


Local:  Basílica de San Francisco de Lima Lima, Provincia de Lima, Lima, Peru 

Jazigo: :  Catacombs.



José Mojica
Informação geral
Nome completoCrescenciano Abel Exaltación de la Cruz José de Jesús Mojica Montenegro y Chavarín[1]
Nascimento14 de abril de 1896
Local de nascimentoSan GabrielJalisco
México
PaísMéxico
Morte20 de setembro de 1974 (78 anos)
Local de morteLima
Nacionalidademexicano
Ocupação(ões)músico

PERSONAGEM 
Frei José Mojica, nome artístico de Crescenciano Abel Exaltación de la Cruz José de Jesús Mojica Montenegro y Chavarín, depois Frei José Francisco de Guadalupe Mojica (San Gabriel, 14 de abril de 1896 — Lima, 20 de setembro de 1974), foi um cantor e religioso mexicano.
Morreu aos 78 anos.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Crescenciano Abel Exaltación de la Cruz José de Jesús Mojica Montenegro y Chavarín começou estudando agronomia, mas abandonou para se dedicar à música, passando a cantar, sendo que vai viver em Nova York, aí começando como lavador de pratos. 



Volta em 1917 ao México e é contratado pela Companhia de Espetáculos Cultos S.A. fazendo o papel de Rodrigo em Otelo de Giuseppe Verdi, apresentando-se no Teatro Abreu. 

Depois se apresenta na Ópera de Chicago, onde faz papéis pequenos, até que em 1921 consegue um papel em O Amor das Três Laranjas de Prokofiev e Pelléas et Mélisande, ao lado da atriz Mary Garden. Faz um enorme êxito, sendo contratado pela 20th Century Fox e tornando-se estrela, gravando vários filmes: "One Mad Kiss", "The Yellow Ticket", "Hay que Casar al Príncipe", "El rey de los Gitanos", "Mi Último Amor" e "La Melodía Prohibida. 

Volta ao México em 1938 onde faz os filmes "El capitán Aventurero" e "Caminos de Nueva España". Em 1939 grava "La Canción del Milagro". Em 1942 volta ao Opera de Chicago para fazer o papel de Fenton em "Falstaff" de Verdi. No ano seguinte abandona a posição de galã e passa a viver na Ordem Franciscana no Peru. Inicialmente recebe a ordem de irmão leigo, depois torna-se presbítero e recebe o nome de Frei José Francisco de Guadalupe Mojica. Depois volta a cantar em participações especiais e poucos eventos. 



Em 1950 é contratado pelas Fábricas Peixe, para fazer uma turnê pelo Brasil. Participa em 4 de julho na transmissão experimental e na inauguração da TV em 18 de setembro. As Fábricas Peixe tornam-se o primeiro patrocinador da TV brasileira. 

Segundo Hebe Camargo, em entrevista ao jornal Diário de São Paulo: "Observadores indicaram que cerca de dez mil pessoas viram a imagem e ouviram o canto de Frei José Mojica, diante de monitores de televisão, transmitidos do auditório do Museu de Arte de São Paulo, na noite de 4 de julho de 1950. Mojica compôs tangos e boleros famosos mundialmente, como "Dos Sapatios", "Solamente Una Vez" e "Bésame" (que foi uma das músicas cantadas na inauguração de nossa televisão por ele).

MORTE
Mojica passou os últimos anos de sua vida no Peru, onde morreu.

Fontte: Wikipédia
Formatação: Helio Rubiales

10 de set. de 2022

ELIZABETH II - Arte tumular - 1726 - Capela de S.Jorge , Castelo de Windsor, Inglaterra







Isabel II do Reino Unido
Casa de Windsor
Ramo da Casa de Wettin
21 de abril de 1926 – 8 de setembro de 2022
Precedida por
Jorge VI
Royal Coat of Arms of the United Kingdom.svg
Rainha do Reino Unido e dos
Reinos da Comunidade de Nações

6 de fevereiro de 1952 – 8 de setembro de 2022
Sucedida por


URNA FUNERÁRIA DA RAINHA

O caixão com forragem em chumbo é uma prática que acompanha os membros da família real há séculos. Esses modelos são normalmente fabricados de carvalho inglês, 
 e são bem mais pesados que os caixões normais, chegando a mais de 250 quilos. Porém, o grande destaque fica por conta do revestimento, aplicado para manter o corpo em preservação por mais tempo. O material permite a obtenção de propriedades herméticas. Com a vedação da abertura sendo constituída pelo metal pesado, a passagem de ar para dentro da urna é completamente bloqueada, impedindo o movimento de partículas com potencial para acelerar a degradação do corpo por até um ano.



CERIMONIAL PARA O SEPULTAMENTO DA RAINHA


A cerimônia deve ser conduzida pelo reitor de Westminster David Hoyle, com o arcebispo de Canterbury Justin Welby dando o sermão. A primeira-ministra Liz Truss pode ser convidada a ler um texto. 

Após esta cerimônia, o caixão da rainha será levado em uma procissão a pé da abadia até o Arco de Wellington. Depois, seguirá para Windsor em carro fúnebre. 

O caixão fará sua rota final até a capela de St. George no castelo de Windsor, à tarde. 

O rei e membros seniores da família real devem comparecer a uma procissão no Quadrângulo do Castelo de Windsor antes de adentrar na capela de St. George para um rito. 

A capela de St. George é normalmente escolhida por membros da família real para casamentos, batizados e funerais. Foi onde o duque e a duquesa de Sussex, príncipe Harry e Meghan, casaram-se, e onde ocorreu o funeral do falecido marido da rainha, o príncipe Philip. 

O caixão da rainha será colocado na Abóboda Real antes de ser enterrado na capela memorial do rei George 6º, localizada dentro da capela de St. George.



Isabel II
Chefe da Commonwealth (mais)
Isabel II em 2011
Rainha do Reino Unido e dos
Reinado6 de fevereiro de 1952
8 de setembro de 2022
Coroação2 de junho de 1953
Antecessor(a)Jorge VI
SucessorCarlos III
 
Nascimento21 de abril de 1926
 MayfairLondresReino Unido
Morte8 de setembro de 2022 (96 anos)
 Castelo de BalmoralAberdeenshireEscóciaReino Unido
Nome completo 
pt: Isabel Alexandra Maria
en: Elizabeth Alexandra Mary
MaridoFilipe, Duque de Edimburgo (c. 1947; m. 2021)
DescendênciaCarlos III do Reino Unido
Ana, Princesa Real
André, Duque de Iorque
Eduardo, Conde de Wessex
CasaWindsor
PaiJorge VI do Reino Unido
MãeIsabel Bowes-Lyon
ReligiãoAnglicanismo
AssinaturaAssinatura de Isabel II
Brasão

PERSONAGEM
Isabel II (em inglês: Elizabeth II, nascida Elizabeth Alexandra Mary; Londres, 21 de abril de 1926 – Castelo de Balmoral, Aberdeenshire, 8 de setembro de 2022) foi rainha do Reino Unido e de mais catorze Estados independentes denominados Reinos da Comunidade de Nações de 1952 até sua morte em 2022. Foi igualmente chefe da Commonwealth, uma grande organização governamental composta por 53 países independentes, sendo também a primeira monarca feminina soberana da Casa de Windsor, Governadora Suprema da Igreja da Inglaterra e Comandante Suprema das Forças Armadas do Reino Unido. Em alguns de seus outros Estados soberanos, possuía o título de Defensora da Fé.
O papel político de Isabel II abrangeu grandes áreas, com funções constitucionais significativas, sendo representante ativa da sua nação perante o mundo, com uma popularidade pessoal que tornou um dos ícones notáveis que remetem à cultura britânica. 
Morreu aos 96 anos.




SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Nasceu na área de Mayfair, em Londres, sendo a primeira filha do duque e da duquesa de Iorque, mais tarde rei Jorge VI e rainha Isabel. O seu pai subiu ao trono em 1936 após a abdicação do irmão, Eduardo VIII, tornando a princesa Isabel na herdeira presuntiva do trono britânico. Isabel foi educada particularmente em casa, começando a exercer funções públicas durante a Segunda Guerra Mundial, servindo no Serviço Territorial Auxiliar. 




Em novembro de 1947, casou-se com Filipe Mountbatten, ex-príncipe da Grécia e da Dinamarca, em um casamento que durou 73 anos até a morte de Filipe em 2021. Tiveram quatro filhos: Carlos, Príncipe de Gales; Ana, Princesa Real; o príncipe André, Duque de Iorque; e o príncipe Eduardo, Conde de
 Wessex. 


Quando o seu pai morreu, em fevereiro de 1952, Isabel, então com 25 anos, tornou-se rainha reinante de sete países independentes dos Reinos da Comunidade de Nações: Reino Unido, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Paquistão e Ceilão, bem como a chefe da Commonwealth. Reinou como monarca constitucional por meio de grandes mudanças políticas, como os problemas na Irlanda do Norte, a devolução no Reino Unido, a descolonização de África e a adesão do Reino Unido às Comunidades Europeias e a retirada da União Europeia. O número de seus reinos variou ao longo do tempo à medida que os territórios conquistaram a independência e alguns reinos se tornaram repúblicas. As suas muitas visitas e reuniões históricas incluem visitas de Estado à República Popular da China em 1986, à Federação Russa em 1994, à República da Irlanda em 2011 e visitas de ou para cinco papas. 

 Na sua vida pessoal destacam-se os nascimentos e casamentos de seus filhos e netos, a investidura do Príncipe de Gales e a celebração de marcos como seus jubileus de Prata em 1977, Ouro em 2002 e Diamante em 2012. Momentos de dificuldade incluem a morte do seu pai aos 56 anos, o assassinato de Luís Mountbatten, tio do príncipe Filipe, o fim dos casamentos dos filhos em 1992 - ano que a própria rainha classificou como annus horribilis - a morte em 1997 de Diana, Princesa de Gales, ex-mulher de Carlos, e as mortes de sua irmã e mãe em 2002. Isabel ocasionalmente enfrentou movimentos republicanos e pesadas críticas a família real, porém o apoio a monarquia e sua a popularidade pessoal permaneceram altos até ao fim da sua vida. 




Isabel II tem parentesco com várias casas reais da Europa. A rainha Margarida II da Dinamarca, o rei Haroldo V da Noruega, o rei Carlos XVI Gustavo da Suécia, os reis eméritos Juan Carlos da Espanha e Sofia da Espanha, assim como o filho deles, o atual rei Filipe VI da Espanha, e os ex-reis da Grécia Constantino II e Ana Maria da Grécia, são todos seus primos em terceiro grau, por serem descendentes da rainha Vitória do Reino Unido, trisavó de Isabel e também de seu marido, Filipe, Duque de Edimburgo. 

Em 6 de fevereiro de 2022, Isabel II celebrou 70 anos de reinado, sendo a única monarca britânica a celebrar um Jubileu de Platina. A partir de 12 de junho do mesmo ano, passou a ocupar a segunda posição entre os monarcas com reinados mais longos na História, atrás apenas do rei Luís XIV (da França - este com 72 anos e 110 dias de reinado). Foi também a monarca reinante mais idosa de todos os tempos.

Durante o seu reinado convidou 15 primeiros-ministros a formar governo, a última Liz Truss dois dias antes de morrer. 

MORTE
Isabel II morreu em 8 de setembro de 2022, no Castelo de Balmoral, em Aberdeenshire, na Escócia, sendo sucedida no trono pelo filho Carlos, Príncipe de Gales, como Carlos III do Reino Unido.

Fonte: Wikipédia
Formatação: Helio Rubiales



31 de ago. de 2022

MIKHAIL GORBATCHOV - Arte tumular - 1725- Novodevichye Cemetery Moscow, Moscow Federal City, Russia









Cemitério

ARTE TUMULAR 
Na ala de celebridades do cemitério sobre uma laje de mármore, está a base tumular retangular em mármore negro com o nome da família Gorbatchov, onde se encontra sepultada a sua esposa Raisa morta em 1999.  Ele será sepultado do lado da esposa. Do lado esquerdo sobre uma pedra bruta, ergue-se uma escultura em bronze quase em tamanho natural de uma figura feminina em pé, com a cabeça ladeada, com os braços soltos juntos ao corpo, coberta por uma fina túnica, representando a jovialidade e ao mesmo tempo a tristeza . Em uma das mãos carrega um ramo de flores que simboliza à fragilidade e singeleza 

Local: Cemitério Novodevichy ,Moscou, Rússia 
Jazigo: 8, beside the columbarium section 130
Fotos: Findagrave
Descrição tumular: Helio Rubiales

 

Mikhail Gorbatchov
Михаил Горбачёв
Gorbatchov em 1987.
7.º Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética
Período11 de março de 1985
24 de agosto de 1991
VicesEgor Ligatchov (1985–1990)
Vladimir Ivashko (1990–1991)
Antecessor(a)Konstantin Chernenko
Sucessor(a)Vladimir Ivashko
9.º Presidente da União Soviética[nota 1]
Período1 de outubro de 1988
25 de dezembro de 1991
Vice-presidenteGennady Yanayev (1990-1991)
Antecessor(a)Andrei Gromiko
Sucessor(a)Cargo abolido
Dados pessoais
Nome completoMikhail Sergueievich Gorbatchov
Nascimento2 de março de 1931
StavropolUnião Soviética
Morte30 de agosto de 2022 (91 anos)
MoscovoRússia
ProgenitoresMãe: Maria Gopkalo
Pai: Serguei Gorbatchov
Alma materUniversidade de Moscou
Prêmio(s)Nobel da Paz (1990)
Prêmio da Paz Albert Einstein (1990)
EsposaRaíssa Gorbachova (1953–1999)
Filhos1
PartidoPCUS (1950–1991)

PSDR (2001–2004)
União dos Social Democratas (2007–2014)
sem partido (2014-2022)

ReligiãoAteísmo
ProfissãoJurista e agrônomo
AssinaturaAssinatura de Mikhail Gorbatchov
WebsiteThe Gorbatchov Foundation
Líder da União Soviética
 Chernenko  · Último titular

PERSONAGEM
Mikhail Sergeevitch Gorbatchov ou Gorbachev[nota 2] (em russo: Михаи́л Серге́евич Горбачёв) GLC (Stavropol, 2 de março de 1931 – Moscou, 30 de agosto de 2022) foi um estadista e político russo. Oitavo e último líder da União Soviética, foi Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética (PCUS) de 1985 a 1991. Foi chefe de Estado do país de 1988 a 1991, na posição de Presidente do Presidium do Soviete Supremo de 1988 a 1989, Presidente do Soviete Supremo de 1989 a 1990 e Presidente da União Soviética de 1990 a 1991. Ideologicamente, sua identificação inicial era com os ideais marxistas-leninistas, tendo, entretanto, no início da década de 1990, se inclinado à social democracia. 
Morreu aos 91 anos.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
De origens russas e ucranianas, Gorbatchov nasceu em Privolnoye, Krai de Stavropol em uma família pobre camponesa. Nascido e criado durante o governo de Josef Stalin, operava colheitadeiras em uma fazenda coletiva durante sua juventude, antes de filiar-se ao Partido Comunista, que, à época, governava a União Soviética sob um regime unipartidário de orientação marxista-leninista. 

Durante seus estudos na Universidade Estatal de Moscou, casou-se com sua colega de faculdade Raíssa Titarenko em 1953, dois anos antes de graduar-se em direito. Ao mudar-se para Stavropol, trabalhou para a Komsomol, organização juvenil do PCUS e, após a morte de Stalin, tornou-se um forte apoiador das reformas desestalinizadoras do líder soviético Nikita Khrushchov. Foi nomeado Primeiro Secretário do Comitê Regional de Stavropol do PCUS em 1970, posição na qual supervisionou a construção do Grande Canal de Stavropol. Em 1978, retornou a Moscou para tornar-se Secretário do Comitê Central do PCUS e, em 1979, entrou para o Politburo. 

Após os três anos que se seguiram desde a morte do líder soviético Leonid Brezhnev, após os breves governos de Yuri Andropov e Konstantin Chernenko, o Politburo elegeu Gorbatchov Secretário-Geral, tornando-o chefe de governo de fato, em 1985. Apesar de seu compromisso de preservar o estado soviético e seus ideais socialistas, Gorbatchov acreditava que reformas políticas significativas eram necessárias, especialmente após o acidente nuclear de Chernobyl de 1986. 

Ordenou a retirada soviética da Guerra do Afeganistão e participou de diversos encontros com o presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan para limitar a proliferação de armas nucleares e acabar com a Guerra Fria. No que diz respeito à política interna, implementou a glasnost ("transparência"), política que aumentava as liberdades de expressão e imprensa, e a perestroika ("reestruturação"), política que objetivava descentralizar a tomada de decisões no âmbito econômico, com o propósito de aumentar a eficiência econômica. Suas medidas democratizantes e a formação do Congresso dos Deputados do Povo enfraqueceram o sistema estatal unipartidário. 

Gorbatchov recusou-se a intervir militarmente nos vários países do Bloco do Leste que abandonaram suas orientações marxistas-leninistas nos anos de 1989 e 1990. Um sentimento nacionalista crescente ameaçava o colapso da União Soviética, levando partidários marxistas-leninistas a tentarem um golpe de Estado contra o governo de Gorbatchov em agosto de 1991. Subsequentemente, houve a dissolução da União Soviética contra os desejos de Gorbatchov, levando-o a renunciar em dezembro. 

Após deixar o cargo, criou a Fundação Gorbatchov, tornou-se crítico dos governos dos presidentes russos Boris Yeltsin e Vladimir Putin, e fez campanha pelo movimento social-democrata russo. Considerado uma das figuras mais importantes da segunda metade do século XX, Gorbatchov continua uma figura controversa. Galardoado com um grande número de prémios, incluindo o Prêmio Nobel da Paz, foi amplamente elogiado por seu papel pelo fim da Guerra Fria, pela redução dos abusos de direitos humanos na União Soviética e por sua tolerância tanto à queda dos governos socialistas do leste europeu quanto à reunificação da Alemanha. 

Por outro lado, na Rússia, é constantemente escarnecido por não ter impedido o colapso soviético, evento que resultou em um declínio da influência russa no mundo e precedeu uma crise econômica. 

MORTE
Gorbatchov morreu no Hospital Clínico Central de Moscou em 30 de agosto de 2022, aos 91 anos de idade. A sua morte não recebeu maiores detalhes, com o hospital afirmando apenas de que se tratou de uma "doença grave e prolongada", estando sob supervisão contínua dos médicos desde o início de 2020. Gorbachov será enterrado no Cemitério Novodevichy de Moscou, ao lado de sua esposa Raisa, que morreu em 1999, segundo seu testamento. Na época de sua morte, Gorbatchov era o governante mais longevo da Rússia na história, derrotando Alexander Kerensky e o líder nominal da URSS Vasili Kuznetsov, que ambos viveram até ter 89 anos.

Fonte: Wikipédia
Formratação: HelioRubiales